Publicidade

Correio Braziliense

Jornalista é agredida com bandeira por bolsonaristas em manifestação; veja

Fato ocorreu neste domingo (17/5). Repórter da da BandNews continuou trabalhando normalmente


postado em 17/05/2020 18:01 / atualizado em 17/05/2020 21:26

Repórter da TV BandNews foi agredida neste domingo por bolsonarista em Brasília(foto: Reprodução/Twitter)
Repórter da TV BandNews foi agredida neste domingo por bolsonarista em Brasília (foto: Reprodução/Twitter)
A repórter de televisão Clarissa Oliveira, da TV BandNews, foi agredida por uma apoiadora do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) neste domingo (17/5). O fato aconteceu em Brasília, onde apoiadores do governo federal se aglomeram em meio à pandemia do novo coronavírus.

 

 

 

"Uma das manifestantes, uma das apoiadoras do presidente Jair Bolsonaro, circulava com uma bandeira, criticando os profissionais de imprensa e se referindo aos jornalistas como 'lixo'. Em determinado momento, ela me acertou com a bandeira na cabeça. Logo em seguida, ela se desculpou meio aos risos", disse Clarissa.

 

A jornalista afirmou que recebeu apoio de outros manifestantes e que continuou trabalhando normalmente após a agressão.

 

Além dos ataques quase que diários do presidente à imprensa, em ato realizado no início de maio, novamente na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, o fotógrafo Dida Sampaio, do jornal O Estado de S. Paulo, foi agredido pelos bolsonaristas.

 

Segundo consta na ocorrência da Polícia Civil, o repórter fotográfico informou que fazia a cobertura da manifestação e estava tirando fotos do presidente da República quando começou a ser hostilizado. Algumas pessoas teriam colocado bandeiras na frente da câmera, tentando impedir os registros.

 

Na sequência, os manifestantes começaram a colocar a mão na lente da câmera e a agredir o profissional. O homem, que usava uma escada pequena para ter uma visão melhor, acabou sendo empurrado, caiu e bateu a cabeça no chão. A partir daí, ele se levantou para tentar sair da aglomeração e começou a ser agredido com socos e chutes.

 

A vítima ainda informou que em nenhum momento provocou os manifestantes, apenas fazia o registro fotográfico da manifestação. Ele não quis ir ao Instituto de Medicina Legal (IML), pois informou não ter lesões aparentes. 

Apoio

Pelo Twitter, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, prestou solidariedade à jornalista agredida: "É absolutamente inadmissível, que uma repórter, exercendo sua profissão, seja covardemente agredida por manifestante radical, que jamais saberá o real significado do direito de livre manifestação e da imprensa livre, um dos sustentáculos da Democracia".

 

 

*Com informações de Renata Rios

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade