Publicidade

Correio Braziliense

Mulher que bateu com bandeira em jornalista é servidora e alega "acidente"

A servidora pública Angela Berger disse a jornal que acertou a bandeira em jornalista durante ato de apoio a Bolsonaro por acidente


postado em 18/05/2020 17:32 / atualizado em 18/05/2020 17:54

(foto: Reprodução/TV Band )
(foto: Reprodução/TV Band )
A mulher que atingiu a jornalista Clarissa Oliveira, da TV BandNews, com uma bandeira, durante manifestação em apoio ao presidente Jair Bolsonaro no domingo, em Brasília, afirmou, nesta segunda-feira (18/5), que o episódio foi um "acidente".

A manifestante, que se chama Angela Berger e é servidora pública, deu sua versão do incidente ao jornal Folha de S. Paulo. "A bandeirada na repórter foi um acidente. Eu estava olhando os paraquedistas e me descuidei... Acontece, né? Já levei tantas bandeiradas. Quebraram até meu óculos. Porém, entendo que foi um acidente", disse Angela ao jornal paulista.

A repórter Clarissa Oliveira cobria a manifestação pró-Bolsonaro que ocorria na Esplanada quando foi atingida na cabeça pela servidora. "Uma das manifestantes, uma das apoiadoras do presidente Jair Bolsonaro, circulava com uma bandeira, criticando os profissionais de imprensa e se referindo aos jornalistas como 'lixo'. Em determinado momento, ela me acertou com a bandeira na cabeça. Logo em seguida, ela se desculpou, meio aos risos", contou a jornalista, ainda no domingo (assista abaixo). Clarissa também disse que recebeu apoio de outros manifestantes e que continuou trabalhando normalmente após a agressão.

  

Esta foi ao menos a segunda vez em que um jornalista foi agredido durante ato em apoio ao presidente. No começo do mês, o fotógrafo Dida Sampaio, de O Estado de S. Paulo, também sofreu agressões.

Ministro do STF se manifesta

Pelo Twitter, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, prestou solidariedade à jornalista agredida: "É absolutamente inadmissível, que uma repórter, exercendo sua profissão, seja covardemente agredida por manifestante radical, que jamais saberá o real significado do direito de livre manifestação e da imprensa livre, um dos sustentáculos da Democracia".



Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade