Publicidade

Correio Braziliense

Moro diz que "cada um pode fazer sua avaliação" sobre o vídeo

Gravação divulgada nesta sexta-feira (22/5) foi apontada pelo ex-ministro da Justiça como prova da tentativa de interferência na Polícia Federal do presidente da República


postado em 22/05/2020 21:26 / atualizado em 23/05/2020 21:19

(foto: EVARISTO SA / AFP)
(foto: EVARISTO SA / AFP)
O ex-ministro da Justiça Sergio Moro usou o Twitter para se pronunciar sobre a divulgação do vídeo da reunião ministerial de 22 de abril, nesta sexta-feira (22/5). Moro disse que "a verdade foi dita, exposta em vídeo, mensagens, depoimentos e comprovada com fatos posteriores, como a demissão do DIretor Geral da PF e a troca na superintendência do RJ." 
O vídeo foi apontado por Moro como prova de que o presidente Jair Bolsonaro teria tentando interferir na Polícia Federal. Moro deixou o governo dois dias após esta reunião.

Sobre o restante do conteúdo do vídeo, o ex-ministro disse que "cada um pode fazer a sua avaliação". 
 
 

Mais tarde, Moro respondeu a uma entrevista em que Bolsonaro reclamou que Moro não fazia nada para impedir atuações irregulares contra seus filhos.



No vídeo, divulgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), além da parte que mostraria uma tentativa de interferência na PF, tem outras falas polêmicas, tanto do presidente quanto de seus ministros. 

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, fez críticas ao STF. "Por mim, botava esses vagabundos todos na cadeia. Começando no STF", disse. O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, disse para aproveitar o momento de pandemia para "passar as reformas infralegais de desregulamentação". E Bolsonaro chegou a xingar os governadores do Rio de Janeiro e de São Paulo.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade