Politica

Maia diz ver 'com naturalidade' aproximação de Bolsonaro com parlamentares

O presidente da Câmara ressaltou que ''o sistema democrático exige a convivência republicana entre Poder Executivo e Poder Legislativo''

Alessandra Azevedo
postado em 26/05/2020 17:58
O presidente da Câmara ressaltou que ''o sistema democrático exige a convivência republicana entre Poder Executivo e Poder Legislativo''O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse não ver problemas na aproximação recente entre o presidente Jair Bolsonaro e parlamentares, em busca de apoio político para não perder votações que o governo considera importantes. Dialogar "é da natureza do Parlamento;, afirmou o deputado, em discurso, ao abrir a sessão desta terça-feira (26/5), no plenário.

"Vejo com naturalidade o esforço do governo federal para ampliar sua base política. Ao invés de ser criticado, esse esforço deve ser respeitado;, defendeu Maia. Desde o início do mês, Bolsonaro tem distribuído cargos de chefia em órgãos públicos a partidos do chamado Centrão. O objetivo é construir um núcleo de apoio no Congresso, caso precise barrar um eventual pedido de impeachment.

Maia ressaltou que ;o sistema democrático exige a convivência republicana entre Poder Executivo e Poder Legislativo;. No discurso, Maia reforçou a necessidade de defesa das instituições democráticas. ;Nosso grande desafio é derrotar o coronavírus, vencer a gravíssima crise social e econômica que esta à nossa frente, preservando a democracia. Repito: preservando a democracia", enfatizou.

O Parlamento "respeita e cumpre as decisões judiciais, mesmo quando delas discorda", observou Maia. O discurso veio dias após o ministro da Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, ter dito que a apreensão do celular do presidente Jair Bolsonaro pela Justiça pode ter "consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional".

Vários parlamentares consideraram a declaração, feita na última sexta-feira (22/5), uma afronta à democracia. ;É imprescindível continuar cuidando da relação harmoniosa entre os poderes da República. É isso que nos ordena a Constituição;, ressaltou Maia, que defendeu o "diálogo respeitoso entre os Poderes" e a "pacificação dos espíritos".

Diálogo

Além de cumprir o papel de pautar matérias essenciais durante a pandemia, Maia disse ter ;diálogos institucionais permanentes com o Executivo". Ele mencionou o encontro com o presidente Bolsonaro, na última quinta-feira (21/5), no Planalto, onde foi recebido ;com elegância e cordialidade, como mandam os ritos", contou. "Depois, junto com presidente do Senado (Davi Alcolumbre), ajudei a construir a reunião com os governadores", lembrou.

[SAIBAMAIS]Maia também disse ter uma relação "constante e construtiva" com a imprensa. "Todos sabemos o importantíssimo papel da imprensa livre e dos profissionais de imprensa na consolidação da democracia", disse. Nesta segunda-feira (25/5), vários veículos de comunicação decidiram suspender a cobertura presencial no Palácio da Alvorada, pela falta de segurança e reiterados ataques de apoiadores do presidente.

O presidente da Câmara aproveitou o discurso para defender o isolamento social durante a pandemia do novo coronavírus. Segundo ele, a quarentena não é culpada pela queda na atividade econômica e pelo desemprego. "O que derruba a economia é o vírus. O distanciamento momentâneo entre as pessoas salva vidas", disse.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação