Publicidade

Correio Braziliense

Alvo de ação da PF, Zambelli diz que vivemos Estado de exceção

Parlamentar criticou inquérito aberto no Supremo Tribunal Federal para investigar ataques e fake news contra a Corte e seus ministros


postado em 27/05/2020 10:26

(foto: Divulgação/Câmara dos Deputados)
(foto: Divulgação/Câmara dos Deputados)
A deputada federal Carla Zambelli, aliada do presidente Jair Bolsonaro, defendeu o impeachment de um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), sem citar nomes, e alegou que vivemos em um Estado de exceção. A parlamentar é um dos alvos de uma operação da Polícia Federal deflagrada por ordem do ministro Alexandre de Moraes.

Zambelli, Bia Kicis, Luiz Phillipe Orleans e Bragança, Daniel Silveira e outros deputados estão sendo intimados para prestar depoimento no âmbito do inquérito que investiga ataques e fake news contra o Supremo. 

Pelas redes sociais, ela condenou as ações e criticou as diligências. "Toda pessoa que respeite a lei tem a obrigação de repudiar essas buscas no âmbito de um inquérito ilegal e inconstitucional sem fato determinado e já arquivado pela PGR", disse. 

Ela completou, dizendo que o inquérito não tem base legal. "Se você aplaude a ação ilegal contra seu adversário, não adianta reclamar quando ela se voltar contra você. Estamos vivendo um estado de exceção, ironicamente sob os aplausos dos que acusam o presidente Jair Bolsonaro de querê-lo. Está na hora do senhor Davi Alcolumbre (presidente do Senado) cumprir seu dever constitucional e analisar com carinho os pedidos de impeachment contra o responsável por esse absurdo", destacou Zambelli.

Procurada pela reportagem para comentar o caso, a deputada Bia Kicis ainda não respondeu as mensagens e ligações.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade