Publicidade

Correio Braziliense

Witzel volta a dizer que investigação saiu do gabinete de Aras

Governador do Rio de Janeiro se refere à investigação que resultou na Operação Placebo, deflagrada na última terça-feira e que atingiu a ele e sua esposa


postado em 27/05/2020 11:25

(foto: MAURO PIMENTEL/AFP)
(foto: MAURO PIMENTEL/AFP)
O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), voltou a dizer que a investigação do Ministério Público Federal (MPF) que resultou na Operação Placebo, da Polícia Federal no Rio de Janeiro, saiu do gabinete do procurador-geral da República, Augusto Aras, com a anuência do presidente Jair Bolsonaro.

"Chegou ao meu conhecimento que essa investigação partiu de dentro do gabinete do procurador-geral da República, com aquiescência do presidente da República", disse em entrevista ao "Bom Dia, Rio", da Rede Globo.

Na última terça-feira (26), à CNN Brasil, Witzel também havia feito acusações a Aras. "Pelo que eu tomei conhecimento, todo esse processo começa no gabinete do procurador-geral da República", afirmou. 

O governador do Rio ainda disse: "Entreguei meus celulares, computadores, abro mão do meu sigilo, não vão encontrar absolutamente nada. O que eu quero é apenas que o poder judiciário esteja atento às manipulações que estão sendo feita por parte do Ministério Público", disse. 

A investigação apura indícios de desvios de recursos destinados ao combate ao novo coronavírus no Rio de Janeiro. A ação da PF foi autorizada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade