Politica

Aras pede ao STF suspensão do inquérito que investiga fake news

Procurador afirma que Ministério Público foi surpreendido com ação da PF que mirou suspeitos de promoverem ataques contra o Supremo na internet

Renato Souza
postado em 27/05/2020 15:01
Augusto ArasO Procurador-geral da República, Augusto Aras, pediu, nesta quarta-feira (27), a suspensão do inquérito aberto no ano passado para investigar "ataques e fake news contra o Supremo Tribunal Federal (STF) e seus ministros. De acordo com Aras, o Ministério Público Federal (MPF) foi surpreendido com a ação deflagrada contra blogueiros, políticos e empresários.

Nas primeiras horas do dia, por determinação do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo, a Polícia Federal cumpriu 39 mandados de busca e apreensão contra blogueiros como Allan dos Santos e Sara Winter. Deputados bolsonaristas, como Carla Zambelli, Bia Kicis e Felipe Barros foram intimados a prestar depoimento.

Eles são suspeitos de envolvimento com o chamado Gabinete do Ódio, criado para promover ataques contra opositores do governo e instituições. Empresários como Luciano Hang, dono das lojas Havan, são acusados de financiar o movimento.

[SAIBAMAIS]Aras se manifestou em uma ação apresentada pela Rede Sustentabilidade, que no ano passado pediu que o inquérito seja suspenso. De acordo com Aras, a procuradoria foi "surpreendida" com as ações realizadas pela PF, "sem a participação, supervisão ou anuência prévia do órgão de persecução penal". Ele declara que o fato necessita a importância de se garantir a segurança jurídica "com a preservação das prerrogativas institucionais do Ministério Público de garantias fundamentais, evitando-se diligências desnecessárias, que possam eventualmente trazer constrangimentos desproporcionais".

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação