Publicidade

Correio Braziliense

Dono da Havan e outros quatro são suspeitos de financiar "gabinete do ódio"

PF cumpriu mandados de busca e apreensão no âmbito do inquérito das fake news, do STF. Ministro diz que 'gabinete' pode ser associação criminosa


postado em 27/05/2020 15:33 / atualizado em 27/05/2020 16:04

(foto: Reprodução/Instagram)
(foto: Reprodução/Instagram)
Em inquérito que apura ataques e ameaças a ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes aponta cinco empresários como suspeitos de atuarem no financiamento de esquema de disseminação de ataques e informações falsas contra os integrantes da Corte. Dentre eles, estão Luciano Hang, dono das lojas Havan, e Edgard Gomes Corona, fundador e CEO da rede de academias Smart Fit. 

Além deles, o ministro cita Otávio Oscar Fakhoury, o humorista Reynaldo Bianchi Junior e o Winston Rodrigues Lima, criador do Bloco Movimento Brasil e dono do canal do Youtube ‘Cafézinho com Pimenta’. Dos cinco, Moraes só não pede a quebra de sigilo fiscal e bancário de Oscar.

Na decisão, o ministro diz que a estrutura de divulgação de informações falsas está aparentemente “sendo financiada  por um grupo de empresários que, conforme os indícios constantes dos autos, atuaria de maneira velada fornecendo recursos (das mais variadas formas), para os integrantes dessa organização”. “Essas tratativas ocorreriam em grupos fechados no aplicativo de mensagens WhatsApp, permitido somente a seus integrantes”, pontuou.

Moraes ressaltou que o acesso a essas informações é de vital importância para a investigação, “notadamente para identificar, de maneira precisa, qual o alcance da atuação desses empresários nessa intrincada estrutura de disseminação de notícias fraudulentas”. Por isso, foi solicitada a busca e apreensão de celulares, tablets e outros aparelhos de 17 pessoas, incluindo os empresários. A operação da Polícia Federal deflagrada nesta quarta-feira (27) realizou esse trabalho em cinco estados e o Distrito Federal.


Associação criminosa


Na decisão, Moraes informou que o grupo que dissemina informações falsas, conhecido como “gabinete do ódio”, pode ser uma associação criminosa. 

“As provas colhidas e os laudos periciais apresentados nestes autos apontam para a real possibilidade de existência de uma associação criminosa, denominada nos depoimentos dos parlamentares como 'Gabinete do Ódio', dedicada a disseminação de notícias falsas, ataques ofensivos a diversas pessoas, às autoridades e às Instituições, dentre elas o Supremo Tribunal Federal, com flagrante conteúdo de ódio, subversão da ordem e incentivo à quebra da normalidade institucional e democrática”.

Nos autos, constam informações prestadas pelos deputados federais Alexandre Frota (PSDB-SP) e Joice Hasselmann (PSL-SP), que falaram sobre a existência do grupo chamado por eles de “gabinete do ódio”. Ambos eram grandes aliados de Bolsonaro até o ano passado, quando romperam e se tornaram opositores do governo.

Todos os investigados apontados na decisão, incluindo os empresários, "teriam ligação direta ou indiretamente com o aludido Gabinete do Ódio”, conforme frisado pelo ministro.

Envolvidos


Confira o nome das 17 pessoas apontadas nos autos como tendo algum envolvimento na divulgação de ataques e informações falsas sobre os ministros do STF e as quais foram alvo de busca e apreensão pela PF nesta quarta-feira (27). 

Moraes pediu que fossem apreendidos de celulares, computadores e outros dispositivos eletrônicos, além de qualquer outro material relacionado "à disseminação das aludidas mensagens ofensivas e ameaçadoras". 


-Allan dos Santos - blogueiro apresentador do canal Terça Livre

-Bernardo Pires Kuster - diretor de opinião de um jornal chamado "Brasil Sem Medo", que se intitula "o jornal mais conservador do Brasil"

-Edson Pires Salomão - assessor especial no gabinete do deputado estadual de São Paulo Douglas Garcia (PSL)

-Rodrigo Barbosa Ribeiro - auxiliar parlamentar no gabinete do deputado estadual de São Paulo Douglas Garcia (PSL)
-Roberto Jefferson - presidente do PTB
-Eduardo Fabris Portella
-Enzo Leonardo Suzi Momenti - youtuber
-Marcelo Stachin 
-Marcos Dominguez Bellizia
-Rafael Moreno
-Paulo Gonçalves Bezerra;
-Sara Fernanda Giromini (Sara Winter) - ativista bolsonarista, líder do grupo "300 do Brasil"
-Luciano Hang - dono das lojas Havan
-Edgard Gomes Corona - fundador e CEO da rede de academias Smart Fit
-Otávio Oscar Fakhoury
-Reynaldo Bianchi Junior - humorista
-Winston Rodrigues Lima - criador do Bloco Movimento Brasil e dono do canal do Youtube ‘Cafézinho com Pimenta’.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade