Politica

Após operação que atingiu bolsonaristas, presidente se reúne com ministros

O encontro se dá no dia em que a Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão contra apoiadores do governo no âmbito do inquérito das "fake news" no Supremo Tribunal Federal (STF)

Sarah Teófilo
postado em 27/05/2020 17:27
O encontro se dá no dia em que a Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão contra apoiadores do governo no âmbito do inquérito das O presidente Jair Bolsonaro está reunido na tarde desta quarta-feira (27/5) com quase todos os ministros do governo no Palácio do Planalto. Só não estavam presentes dos ministros da Saúde, Eduardo Pazuello, e do Meio Ambiente, Ricardo Salles. A reunião não estava na agenda presidencial e o teor ainda não foi divulgado.

O encontro se dá no dia em que a Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão contra apoiadores do governo no âmbito do inquérito das "fake news" no Supremo Tribunal Federal (STF). O inquérito investiga ataques e ameaças feitos contra membros da Corte.

Os ministros foram chamados para a reunião durante a tarde. Depois da polêmica envolvendo o vídeo da reunião ministerial do dia 22 de abril, apontada pelo ex-ministro da Justiça Sergio Moro como prova de interferência política de Bolsonaro na PF, o presidente disse que não faria mais reuniões ministeriais; que se reuniria com cada um separadamente.

Na agenda de Bolsonaro já constava uma reunião com o ministro da Educação, Abraham Weintraub, às 14h30. Mais cedo, havia dois encontros com o ministro da Defesa.

[SAIBAMAIS]Na última terça-feira à noite, o ministro do STF Alexandre de Moraes determinou que Weintraub fosse ouvido pela PF em até cinco dias sobre uma declaração feita na reunião do dia 22. O vídeo da reunião foi divulgado na última sexta-feira (23). Nele, o ministro diz: ;Por mim, botava esses vagabundos todos na cadeia. Começando no STF;.

Após encontro, o presidente se reuniu à noite com os ministros da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, e o da Secretaria-Geral da Presidência, Jorge de Oliveira, além do Advogado-Geral da União (AGU), José Levi Mello do Amaral Júnior.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação