Publicidade

Correio Braziliense

Mourão diz que pedidos de intervenção militar são "liberdade de expressão"

Mourão afirmou que apenas portais faixas que pedem o fechamento do STF ou pressão sobre parlamentares não deve ser tratado como crime contra a democracia


postado em 05/06/2020 17:45 / atualizado em 05/06/2020 18:20

(foto: AFP / Sergio LIMA)
(foto: AFP / Sergio LIMA)
O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, disse que os pedidos de intervenção militar em manifestações favoráveis ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não são as bandeiras mais corretas, mas, segundo ele, representam a liberdade de expressão.

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Mourão afirmou que apenas portais faixas que pedem o fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF) ou pressão sobre parlamentares não deve ser tratado como crime contra a democracia.

"Dentre os que se manifestam a favor do presidente, é óbvio que tem uma turma ali que apresenta as bandeiras que não são as mais corretas. Então, a bandeira do fechamento do STF, pressão em cima de determinados parlamentares ou ministros do STF, intervenção militar: isso é liberdade de expressão", afirmou o vice-presidente da República.

Segundo ele, as "barras da lei" só devem atuar sobre esses manifestantes caso eles partam para algum tipo de ação concreta, como depredar patrimônio público ou agredir ministros do STF.

"Eu não vejo, enquanto as manifestações a favor do presidente se mantiverem dentro da lei e da ordem, que elas sejam efetivamente antidemocráticas. A partir do momento em que se agredir pessoas, ministros do STF, parlamentares, depredar patrimônio público, aí barras da lei para eles", disse.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade