Politica

Bolsonaro espera 'reabertura rápida' após fala da OMS sobre assintomáticos

Embora seja um estudo inicial, o chefe do Executivo disse que o ''pânico começa a se dissipar''

Ingrid Soares
postado em 09/06/2020 10:33

Bolsonaro e Braga neto em reunião ministerialO presidente Jair Bolsonaro afirmou, na manhã desta terça-feira (9/6), que espera reabertura rápida dos comércios após informações da OMS de que pacientes assintomáticos tem poucas chances de transmistir a doença.

Embora seja um estudo inicial, o chefe do Executivo disse que o ;pânico começa a se dissipar; . A fala ocorreu durante a 34; Reunião de Conselho do Governo, que, desta desta vez,

;A OMS nas últimas semanas tem tido algumas posições antagônicas. A penúltima sobre a hidroxicloroquina. Foi determinada a suspensão de pesquisa e depois voltou atrás. As pesquisa continuam no Brasil e não temos a comprovação científica ainda, mas relatos de pessoas infectadas e de médicos e grande parte tem sido favorável ao uso da da hidroxicloroquina com azitromicina;, afirmou o chefe do Executivo.

O presidente completou: ;No dia de ontem (segunda-feira), mais um dado da OMS que a grande mídia ainda não divulgou. Tenho certeza que a mídia vai dar um grande destaque no dia de hoje a esta matéria, tenho certeza absoluta. Levando-se em conta a isenção e o compromisso da imprensa brasileira com a verdade acima de tudo porque foi noticiado ontem, também de forma não comprovada ainda, como nada é comprovado na questão do coronavírus, mas que a transmissão por parte de assintomáticos é praticamente zero, então isso vai dar muito debate e muitas lições serão tomadas;, apontou.

Segundo Bolsonaro, o estudo pode sinalizar a volta das atividades comerciais de forma mais rápida. ;Com toda certeza isso pode sinalizar a uma abertura mais rápida do comércio e a extinção daquelas medidas restritivas adotadas segundo decisão do STF, adotadas por governadores e prefeitos. O governo federal não tem qualquer ingerência nessas medidas restritivas, como por exemplo, o fechamento de comércio, proibição de frequentar espaços públicos, entre outros;, defendeu.

Segundo ele, o estudo pode sinalizar a volta das atividades comerciais de forma mais rápida. Ele voltou a se eximir de culpa em relação a crise do desemprego no país e direcionou aos governadores. ;Com toda certeza isso pode sinalizar a uma abertura mais rápida do comércio e a extinção daquelas medidas restritivas adotadas segundo decisão do STF, adotadas por governadores e prefeitos. O governo federal não tem qualquer ingerência nessas medidas restritivas, como por exemplo, o fechamento de comércio, proibição de frequentar espaços públicos, entre outros;.

Bolsonaro voltou a dizer que a mídia tem levado ;pânico; à população ao informar sobre os casos e óbitos de coronavírus. "Esse pânico que foi pregado lá atrás por parte da grande mídia começa talvez a se dissipar levando em conta o que a OMS falou por parte do contágio dos assintomáticos", completou.

O que disse a OMS sobre assintomáticos

Nessa segunda-feira (8/6), a infectologista e chefe do departamento de doenças emergentes da Organização Mundial da Saúde (OMS), Maria Van Kerkhove, afirmou que a propagação de covid-19 a partir de pacientes assintomáticos é ;muito rara.;

Segundo a médica, os dados levantados até agora mostram que pessoas que não apresentam os sintomas da doença possuem pouco potencial infectológico para contaminar indivíduos saudáveis. De acordo com a especialista, deve haver esforços dos governos para identificar e isolar pessoas que apresentam sintomas.

Bolsonaro disse que a imprensa terá um papel excepcional na discussão da questão dos assintomáticos. Segundo ele, caso a mídia trate o debate de forma positiva, será possível a retomada a normalidade.Pesquisas em relação ao tema cabem aos profissionais da saúde e ciência.

;A imprensa vai ter um trabalho excepcional, fundamental, ao discutir a questão da não transmissão por assintomáticos no tocante à reabertura de shoppings, comércios de maneira geral e demais atividades no Brasil. Quem sabe até, de acordo com a forma como a imprensa debater esse assunto, com pessoas realmente interessadas no futuro do Brasil e nas vidas em primeiro lugar, nós voltarmos aquela normalidade que tínhamos no começo do corrente ano;.

O presidente disse esperar ;algo de concreto na próximas horas e dias; sobre a pesquisa. ;Será muito bom. Não apenas para o Brasil, mas para o mundo todo. E também a OMS vai, com toda certeza, falar sobre as suas posições adotadas nos últimos meses que levou muita gente, em especial aqui no Brasil a segui-la de forma quase que cega. Devemos, sim, seguir as orientações desses órgãos, mas o debate, o contraditório e principalmente o efeito colateral dessas medidas não poderão ser deixadas de lado, conforme o nosso governo não deixou de lado;, defendeu.

Ele voltou a criticar o isolamento e disse que além das consequências econômicas, o confinamento contribuiu para o aumento da violência doméstica, abusos e depressão. ;Garota em escola, o que influenciou na vida dessas crianças que estão em casa e não na escola. E com toda certeza, esse pânico que foi pregado lá atrás por parte da grande mídia começa talvez a se dissipar levando em conta o que a OMS falou por parte do contágio dos assintomáticos. O que nós mais queremos é voltar a normalidade e o país aí retornar ao caminho da prosperidade;, reclamou.

Durante toda a reunião, Bolsonaro insistiu que o estudo dos assintomáticos colocará fim ao isolamento horizontal. ;Para reforçar, essa comunicação da OMS ontem de que o assintomático não transmite vai abreviar essa política do ;fique em casa;, do isolamento absoluto até de lockdown que vai ajudar que os males não sejam maiores o efeito colateral do tratamento da pandemia;.

Pazzuelo

Bolsonaro também desejou ;boa sorte; ao ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello. Na tarde desta terça-feira (9/6), a Comissão Externa da Câmara dos Deputados que debate sobre o coronavírus, ouvirá o ministro que foi convidado a explicar sobre a mudança na divulgação dos dados do novo coronavírus.

;A gente deseja boa sorte ao Pazuello hoje a tarde. Tenho certeza de que tudo que foi falado nos últimos dias será realmente explicado e tenho certeza que a população adotará como precisa essa contagem dos números sobre o coronavírus. A gente torce, pede a Deus, para que o mais brevemente possível nós tenhamos um ponto final nessa questão;.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação