Politica

Ministro da infraestrutura defende testagem de trabalhadores em obras

Tarcísio tocou no tema quando exemplificou como a pasta fez para manter em funcionamento das obras do governo federal em rodovias, portos e aeroportos do país

Luiz Calcagno
postado em 09/06/2020 12:15

Tarcísio de FreitasO ministro da infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, falou sobre a importância de parâmetros de segurança, como medição de temperatura e outros, para a retomada dos trabalhos após a pandemia de coronavírus. Tarcísio tocou no tema quando exemplificou como a pasta fez para manter em funcionamento das obras do governo federal em rodovias, portos e aeroportos do país.

O balanço aconteceu na 34; reunião do conselho de governo, com o presidente da República, Jair Bolsonaro, o vice, Hamilton Mourão, e outros membros do primeiro escalão do governo.

Entre os projetos mais importantes, o ministro deu destaque à exgtensção da malha ferroviária paulista e a conexão ferroviária do país por um eixo norte-sul, e outro leste-oeste, e mais um complexo do Centro Oeste do país. ;A Ferrovia Norte-Sul foi uma conquista. Foi licitada no ano passado com grande sucesso. Um ágio de 100% do valor de outorga, de R$ 2.7 bilhões. Estão sendo investidos R$ 2.8 bi na conclusão de obras, material rodante, sist de comunicação e sinalização, e tem R$ 1 bi de obras em andamento nesse momento e que vão estar concluídas no ano que vem;, explicou.

;Termos a Ferrovia Norte-Sul integral, ligando o Porto de Itaqui, no Maranhão, ao de Santos, em São Paulo. Uma grande espinha ferroviária que vai ligar o Brasil de norte a sul. Essa ferrovia vai proporcionar o escoamento dos grãos e outras commodities para o Porto de Santos, e da carga contabilizada, refrigerada, com operações de container empilhado, para aumentar a capacidade;, disse.

O governo renovou a concessão da malha ferroviária paulista. Segundo Tarcísio, isso permitirá que o sistema aumente a capacidade de 35 milhões de toneladas para 110 milhões de toneladas em cinco anos. ;A malha paulista é o grande concentrador de cargas levadas para o Porto de Santos. E daí a oportunidade de renovar a concessão para aperfeiçoar a malha. São R$ 6 bi nos próximos 5 anos. Sai de 35 milhões de toneladas para 70 milhões, mas vamos chegar a 110 milhões de toneladas;, calculou.

;Vamos investir dentro do porto, R$ 1 bi em ferrovia, para todos os terminais da margem direita. A capacidade de operação vai de 160 milhões para 240 milhões de toneladas. E vamos fazer outras renovações de contrato que vão nos permitir a construção da ferrovia de integração do Centro Oeste, e faremos a concessão da Centro Oeste ligada à Leste-Oeste. Teremos um ramal Norte-Sul e um Leste-Oeste, e vamos proporcionar para os produtores da região central, três alternativas ferroviárias para portos marítimos. Vamos interligar todo o Brasil com ferrovias;, anunciou.

Testagem de coronavírus em trabalhadores

Ao todo, de acordo com o ministro, o Brasil tem R$ 3 bilhões em obras de infraestrutura em andamento. ;Isso corrobora com o que (Paulo) Guedes falou sobre a construção civil e sobre a necessidade de um protocolo para retorno ao trabalho. Mantivemos os canteiros funcionando. Não tivemos problemas com covid-19. Temos canteiros com 1000 trabalhadores, como a Oeste-Leste na Bahia. A obra está a todo vapor. O trabalhador faz testagem quando chega no canteiro, se tem algum problema, ele é imediatamente afastado. Há espaçamento no transporte, higienização dos veículos, espaçamento nos refeitórios, laboratórios, de maneira a garantir a saúde do trabalhador;, disse.

;Entregamos 94 km de rodovia duplicados, 82 km de nova pavimentação nas mais diversas rodovias, 33 km de restaurações, e empreendimentos espalhados em praticamente todas as unidades da federação. Temos uma extensa agenda de visitas, presidente. A gente vai ter mais de R$ 50 bi em investimentos para a iniciativa privada no TCU. Terminamos, nesse período, 34 estruturações de novos projetos, e fechamos o nosso trigésimo contrato de concessão. Seguimos a risca a determinação do presidente de trazer a transformação para o setor de infraestrutura e mantivemos, nesse período de crise, a logística e abastecimento do país funcionando;, elencou.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação