Politica

Bolsonaro volta a defender uso da hidroxicloroquina contra covid-19

O presidente disse entender que enquanto não chega a vacina, o único tratamento disponível é a medicação em questão

Ingrid Soares
postado em 04/07/2020 15:04
Bolsonaro completou que o país se aliou à Inglaterra e a outros países com U$ 100 milhões na busca pela vacina
O presidente Jair Bolsonaro voltou a defender na manhã deste sábado (04/07) o uso da cloroquina no tratamento do covid-19, embora não haja comprovação científica. A fala ocorreu durante entrevista ao Grupo ND após o chefe do Executivo ter sobrevoado áreas afetadas pelo ;ciclone bomba; em Santa Catarina.
;Estamos tendo notícias, inclusive também cada vez mais não só no Brasil como no mundo, o tratamento precoce via hidroxicloroquina tem surtido efeito. Então nós apelamos àqueles ainda que resistem no tocante a esse protocolo, que como é um protocolo, é algo oficial, que realmente entendo que a única prevenção, o único tratamento que temos é a hidroxicloroquina enquanto não chega a vacina;, apontou o presidente.
Bolsonaro completou que o país se aliou à Inglaterra e a outros países com U$ 100 milhões na busca pela vacina. Ele lamentou os óbitos na região provocados pelo fenômeno e se colocou à disposição do governo local.
"Passamos por alguns pontos que foram atingidos por esse ciclone. Realmente é uma imagem triste. Somos solidários também aos familiares que perderam seus parentes. Vim acompanhado do Marinho e do secretário de defesa civil. Já estamos trabalhando mas agora de forma mais integrada se colocar à disposição do governador e dos prefeitos para recuperar e mitigar os problemas ocasionados por esse ciclone. O mundo todo foi atingido, o Brasil não ficou de fora;.
O presidente concluiu dizendo que o governo ;respeita a Constituição; acima de tudo. ;Nós quebramos paradigmas. Encontramos um Brasil com sério problemas econômicos, financeiros, ético e moral. É um governo que respeita a Constituição acima de tudo, e ninguém pode falar uma só palavra que porventura venha a dizer que estamos fazendo o contrário. Respeitamos a liberdade de expressão, que é um dos pilares da democracia, respeitamos os poderes. Agora, temos dificuldades sim porque o governo passou a trabalhar de forma diferente de anteriores;, declarou.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação