Politica

Bolsonaro despacha do Palácio da Alvorada por videoconferência

Presidente despachou remotamente nesta terça (7/7) com o ministro Jorge Oliveira, da Secretaria-Geral. Mais cedo Bolsonaro afirmou que seguirá trabalhando por "não saber ficar parado"

Maíra Alves
postado em 07/07/2020 19:51
 (foto: AFP / Sergio LIMA)
(foto: AFP / Sergio LIMA)
Presidente despachou remotamente nesta terça (7/7) com o ministro Jorge Oliveira, da Secretaria-Geral. Mais cedo Bolsonaro afirmou que seguirá trabalhando por Depois de anunciar que testou positivo para a covid-19, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) despachou, na tarde desta terça-feira (7/7), do Palácio da Alvorada. Em comunicado feito no início da tarde, presidente afirmou que não ficará de repouso por ;não saber ficar parado;.

Ainda durante o anúncio, Bolsonaro ressaltou que deve adaptar a agenda de compromissos para evitar contato com outras pessoas. "Isso é particular meu. Não sei ficar parado. Vou ficar despachando por videoconferência e alguns papéis vou assinar aqui, não vou poder fugir a essa rotina", disse o presidente.

[SAIBAMAIS]Segundo informou o Palácio do Planalto, Bolsonaro despachou nesta tarde com o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Jorge Oliveira. Os documentos foram enviados ao presidente por e-mail e, por videoconferência, foi realizado o despacho entre as autoridades. Após este processo, os atos, então, foram assinados digitalmente a fim de evitar qualquer contato pessoal.

"Vou seguir o protocolo, como cidadão, despachando por videoconferência e, raramente, recebendo uma ou outra pessoa para assinar algum documento", informou o presidente.

Viagens canceladas

O presidente afirmou no início da tarde desta terça que cancelou algumas viagens agendadas. Nesta sexta-feira (10/7), ele iria para a Bahia, acompanhado do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, para participar da inauguração de obras no estado. No sábado (11/7), Bolsonaro viajaria para Paracatu (MG), segundo ele, para visitar um posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Grupo de risco

De acordo com especialistas ouvidas pelo Correio, Bolsonaro pode fazer parte do grupo de risco para a covid-19. As infectologistas Ana Helena Germoglio, do Hospital Águas Claras, e Cristhieni Rodrigues, do Hospital Santa Paula, foram unânimes em dizer que, quanto maior a exposição, maiores são as chances de contaminação e de desenvolvimento da forma grave da síndrome gripal.

Além disso, para a dra. Rodrigues, o estresse causado pelo exercício da presidência neste momento também é um elemento a ser observado. Ambas as médicas concordaram que o caso do presidente inspiram cuidados ainda maiores por causa da idade. Bolsonaro completou 65 anos em março.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação