Politica

Mais de 250 procuradores assinam petição para demitir diretor-geral do MPF

Eitel Santiago fez críticas a forças-tarefas como a da Lava-Jato e disse que eleição de Jair Bolsonaro é obra divina

Renato Souza
postado em 09/07/2020 17:00
Eitel Santiago fez críticas a forças-tarefas como a da Lava-Jato e disse que eleição de Jair Bolsonaro é obra divinaUma petição que solicita ao procurador-geral da República, Augusto Aras, que reconsidere a permanência no cargo do secretário-geral do Ministério Público Federal (MPF), Eitel Santiago, já supera 250 assinaturas. O manifesto, que ainda está colhendo os apoios, ocorre após seis integrantes do Conselho Superior do MPF enviar um memorando com críticas ao secretário.

Ele é apontado por colegas como um funcionário pouco produtivo e que envolve aspectos políticos e eleitorais em suas rotinas de trabalho. Em entrevista à CNN Brasil, Eitel afirmou que os opositores deveriam "entender que a eleição do presidente Jair Bolsonaro é um fato divino".

Além disso, de acordo com o procuradores,"as forças-tarefas do MPF funcionam, por vezes, de forma ilegal;, e que ;prisões foram usadas pela Lava Jato para forçar colaborações premiadas" e ;como instrumento de tortura; de investigados;. Eitel está afastado em razão de licença médica por ter contraído covid-19. Ele necessitou de internação e só deve retornar ao trabalho após 31 de julho.

Os trabalhos estão sendo conduzido pela secretária-geral adjunta do MPF, de acordo com informações obtidas pelo Correio.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação