Politica

Moraes autoriza PF a solicitar dados do Facebook sobre disparos em massa

Rede social derrubou páginas ligadas ao gabinete de Jair Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro e ao PSL suspeitas de enviar mensagens automáticas e de forma deliberada

Renato Souza
postado em 15/07/2020 12:52
 (foto: Edy Amaro/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Edy Amaro/Esp. CB/D.A Press)
Alexandre de MoraesO ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou que a Polícia Federal solicite acesso a dados do Facebook sobre contas acusadas de realizarem disparos em massa de mensagens. Os arquivos, se fornecidos pela empresa, devem ser compartilhados entre o inquérito que investiga fake news e ataques contra a Corte e o aberto para apurar a organização e financiamento de atos antidemocráticos.

O Facebook informou que após uma apuração interna, derrubou uma série de contas ligadas ao PSL, ao gabinete do presidente Jair Bolsonaro e do deputado Eduardo Bolsonaro que violavam as diretrizes da rede social e eram responsáveis pela prática de spam político.

[SAIBAMAIS]Em maio deste ano, Moraes apontou que uma rede de empresários que apoiam Bolsonaro, blogueiros e ativistas estavam por trás do chamado "Gabinete do Ódio", montado para atacar adversários políticos e opositores ao presidente nas redes sociais. Entre os alvos desta investigação estão o empresário Luciano Hang, das Lojas Havan, e a ativista Sara Giromini.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação