Politica

Ato em Brasília a favor do governo

postado em 20/07/2020 04:16
Manifestantes na Esplanada dos Ministérios exibem faixa contra Gilmar Mendes, ministro do STF

Manifestantes se aglomeraram, ontem, em frente ao Congresso, em apoio ao presidente Jair Bolsonaro e contra os governadores. A Polícia Militar não tem, porém, divulgado levantamento sobre a quantidade de participantes em atos que ocorrem em Brasília.


O grupo, marcado pela presença de religiosos, criticou os governos estaduais pelas quarentenas, fechamento dos comércios e não apoio ao uso da cloroquina no tratamento contra a covid-19, como defende Bolsonaro desde o início da pandemia. Eles carregaram cruzes, para simbolizar cada um dos estados do país e o Distrito Federal. Havia faixa contra o ministro Gilmar Mendes, do STF, que, nos últimos dias, criticou o loteamento do Ministério da Saúde por militares em plena pandemia. Muitos manifestantes, por sinal, ignoram a recomendação básica de uso de máscaras, como orienta a pasta.


Participaram do protesto os deputados Daniel Silveira (PSL-RJ) e General Girão (PSL-RN), que tiveram os sigilos quebrados na apuração sobre atos antidemocráticos, cujo inquérito está em andamento no Supremo Tribunal Federal (STF). Também investigados nesse caso, os blogueiros Allan dos Santos e Oswaldo Eutáquio foram ao ato. Eustáquio, que chegou a ser preso temporariamente, conseguiu a liberdade, mas com restrições, entre as quais, de manter distância de, ao menos, um quilômetro da Praça dos Três Poderes.
Bolsonaro, que está com covid-19 e permanece no Palácio da Alvorada, disse, no sábado, que não poderia comparecer ao ato, para ;não dar mau exemplo;. Ele voltou a afirmar que os estados são responsáveis pela crise, porque estão ;deixando a economia se esfacelar;.


O presidente também voltou a criticar a resistência dos gestores estaduais em relação ao uso da cloroquina, apesar de os estudos médicos realizados até agora não demonstrarem benefício da substância contra a covid-19.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação