Publicidade

Correio Braziliense FASHIO RIO

Balanço geral


postado em 29/05/2010 11:45 / atualizado em 29/05/2010 23:07

Veja como foram os defiles do Fashion Rio até sábado à tarde

 

Walter Rodrigues deu a largada ao Fashion Rio de uma maneira bela e emocionante. Tudo parecia diferente de um desfile normal. A passarela era virada para a plateia, os principais jornalistas de moda estava na fileira B, as modelos entravam ao mesmo tempo na passarela, saiam de dentro de portas e faziam um ziguizague. A grande diferença, entretanto, ficou por conta do casting: eram todas negras.

O desfile foi inspirado na cultura africana e trouxe peças que nada lembram outras coleções do mesmo tema. As roupas eram em sua maioria monocromáticas. Muito azul, marrom e bege. Para contrastar, alguns looks eram uma mistura sutil de estampas. Walter trouxe ótimas peças de alfaiataria e vestidos soltos e secos. Quando se viu estampas mais fortes, elas apareciam como aplicações feitas em tecido que imitavam as pinturas corporais de tribos africanas.

O desfile consagrou também os tamancos de madeira e os saltos de cortiça, que apareceram nas passarelas de verão europeias. Quanto aos acessórios, as modelos apresentaram maxicolares bem curtos e bem longos. Na cabeça, lindas peças de origami de tecidos enfeitavam os looks e plantas de verdade atravessando o coque. O estilista entrou na passarela com a sua equipe. Todos estavam visivelmente emocionados e Walter Rodrigues estava com os olhos marejados. Não era para menos, o desfile foi realmente muito emocionante.

A Mara Mac bem que tentou fazer um desfile dramático. O palco era todo vermelho, a música cheia de bateria e guitarras pesadas e a luz, fechada. As roupas, entretanto, seguiam o extremo oposto. Todas as peças eram leves, frescas e de paleta clara. A grife foi a terceira a desfilar no primeiro dia da semana de moda carioca, no Cais do Porto.
A equipe da marca criou peças em alfaiataria com tecidos finos perfeitas para o verão. A maioria delas levava algum tipo de transparência. Tinham macacões com recortes em material bem fininhos, casacos com tecidos trançados e camisas com cortes feitos a laser. A coleção toda é leve e cheia de camadas. Fica como ponto alto as amarrações de tecidos, que dão um toque especial.

Carol Trentini e Aline Weber abriram o badalado desfile da Redley. A marca, que está sem diretor criativo, entrou na passarela com toda a equipe de criação. Aparentemente, o problema de gestão não se refletiu na passarela. A marca confirmou a tendência do verão: roupas coloridas. Era uma mistura de verdes, roxos, rosas, amarelos e turquesa contrastando com tons claros: bege e branco.
Algumas vezes os tons se encontravam nas aplicações de tecidos, que pareciam estampas. A silhueta era bem solta e leve. O ponto forte da coleção foram as misturas de tecidos. Enquanto algumas peças foram desenhadas em tecidos tecnológicos outras eram de tecidos finos, como a seda. Tudo baseado nas formas da alfaiataria.

Cláudia Simões trouxe a passarela do Fashion Rio um desfile lindo. Com a paleta de cor para os tons de terra, ela desenhou uma coleção com a cintura marcada, mas com peças leves e solta. Seguindo a tendência da temporada ela abusou das transparências. Algumas vezes, os tecidos finos deixavam partes do corpo à mostra e outras vezes fazia uma suave sobreposição em peças lisas.

As modelos revezavam chapéus de palha com tranças altas. Outro ponto forte da coleção foram os blazeres que apareceram com frequência. Algumas vezes curtos e outras vezes bem longos. Os shorts de alfaiataria dominaram a coleção que foram misturados com tweeds tropicais e organzas bem leves.

Sem dúvida nenhuma a trilha sonora do desfile da Totem foi um dos mais agradáveis do segundo dia de desfiles do Fashion Rio. A marca convidou a banda Quinho e os Cara para animar a passarela. Eles tocaram músicas black dos anos 1970 no Brasil. Estavam no repertório Wilson Simonal, Tim Maia e Jorge Ben Jor. O desfile, entretanto, não teve a mesma graça que o show. As roupas eram bonitas, mas óbvias. A marca abusou das estampas, o carro-chefe da Totem. Os tecidos eram leves e de cores fortes. O destaque da coleção foram as amarrações de tecido que hora apareciam como cinto, hora apareciam como acabamento das roupas.

O desfile da Lenny foi de tops. Izabel Goulart, Carol Tenório, Ana Cláudia Michels e Aline Weber desfilaram para a marca de biquíni carioca. Os looks tiveram como inspiração os acampamentos do deserto. Foi erguida na passarela uma enorme tenda. Seguindo a tendência do verão 2011, apareceram tecidos fluidos com marcações na linha império. As peças de banho vieram cheias de texturas, em alguns maiôs e biquínis várias camadas de tecido foram enroladas amarrando as modelos. Os cabelos eram bagunçados, como tem aparecido em quase todos os desfiles do Fashion Rio.

 

A Cantão abriu o terceiro dia de desfiles, com Fernanda Lima e Aline Weber, a modelo da temporada. Tipicamente carioca, a marca trouxe tons de azul e rosa, além das cores cítricas e muita estamparia. O estilo soltinho e leve marcou a estreia da estilista Renata Simão no comando da coleção. A peça mais marcante foi a legging bermuda por baixo de vestidos, saias e até dos shorts. Materiais metálicos e resinados deram uma modernizada nas roupas.

 

CONFIRA O LINE-UP DE DOMINGO:

30/05, domingo
12h – Blue Man
16h30 – Filhas de Gaia
18h – Cavendish
19h30 – Melk Z-Da
20h30 – Oestúdio
21h30 – TNG

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade