Publicidade

Correio Braziliense MEDICINA

Evolução da vacina no Brasil


postado em 02/07/2010 18:26 / atualizado em 03/07/2010 21:36

Charge publicada na revista O Malho em 1904(foto: Editora FIOCruz/Reprodução)
Charge publicada na revista O Malho em 1904 (foto: Editora FIOCruz/Reprodução)
Ao longo de pouco mais de um século, o país viu a medicina avançar a passos largos. O episódio inicial dessa jornada, contudo, foi traumático. A chamada Revolta da Vacina irrompeu no Rio de Janeiro logo após a aprovação da Lei da Vacina Obrigatória, em 31 de outubro de 1904. O governo queria imunizar a população contra a varíola, mas não contava com a desinformação generalizada. Os cariocas temiam os efeitos injeção. Além disso, havia o boato de que a dose deveria ser aplicada nas partes íntimas das mulheres. Resultado: a rebelião foi contida à força, deixando um saldo de 50 mortos e 110 feridos. 

1904: Obrigatoriedade da vacinação contra varíola.
1961: Início da produção no Brasil de vacina contra varíola e realização das primeiras campanhas com a vacina oral contra poliomielite.
1966: Início da Campanha de Erradicação da Varíola.
1971: Implantação do Plano Nacional de Controle da Poliomielite.
1973:
Certificação Internacional da Erradicação da Varíola no Brasil; Instituição do Programa Nacional de Imunizações (PNI) e realização de campanhas de vacinação contra o sarampo em diversos estados brasileiros.
1975: Realização da Campanha Nacional de Vacinação contra a meningite meningocócica.
1977: Aprovação da meta de imunizar todas as crianças do mundo até 1990. Definição das vacinas obrigatórias para os menores de um ano em todo o território nacional e aprovação do modelo da Caderneta de Vacinações válida em todo território nacional.
1986: Criação do personagem-símbolo da erradicação da poliomielite, o Zé Gotinha.
1987: Mudança na formulação da vacina oral contra a poliomielite, aumentado a concentração do poliovírus tipo 3.
1989: Ocorrência do último caso de poliomielite no Brasil.
1991: Introdução da vacinação contra a febre amarela na rotina permanente das áreas endêmicas; Início do Plano de Eliminação do Tétano Neonatal, com vacinação de mulheres em idade fértil, nas regiões de risco.
1992: Implantação do Plano Nacional de Eliminação do Sarampo, com campanha nacional em menores de 15 anos. Implantação da vacina contra Hepatite B em todo país. Implantação da segunda dose da vacina contra sarampo aos 15 meses, em todo país.
1996: Realização de campanha nacional de vacinação contra hepatite B.
1998: Implantação na rotina da vacina contra o Haemophilus ingluenzae tipo B para menores de um ano, em todo país.
2000: Concretizado calendário básico para vacinação dos povos indígenas. Realização da terceira campanha nacional de vacinação contra sarampo de seguimento para a população de um a 11 anos, com cobertura de 100%.
2001: No Brasil, 5.599 casos suspeitos de sarampo são notificados, dos quais apenas um é confirmado, importado do Japão.
2002: Implanta-se vacina combinada DTP Hib (difteria, tétano, coqueluche e Haemophilus ingluenzae tipo B para os menores de cinco anos de idade.
2008: Campanha Nacional de Vacinação para Eliminação da Rubéola, com 67 milhões de pessoas vacinadas.
2010: Incorporação das vacinas pneumocócica 10-Valente e da Meningocócica C no calendário infantil.
2010: Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe Pandêmica.

Fonte: Ministério da Saúde.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade