Publicidade

Correio Braziliense MODA

Lá vem o verão!

A semana fashion de Nova York deu a largada nos desfiles primavera-verão 2011 nas passarelas internacionais. O minimalismo, os tons neutros e as formas amplas são aposta da estação


postado em 23/09/2010 15:20 / atualizado em 24/09/2010 20:34

Por Carolina Samorano
Especial para o Correio

Entre 9 e 16 de setembro fashionistas do mundo todo voltaram os olhos às passarelas de um dos mais importantes eventos do calendário de moda internacional: a Mercedes-Benz Fashion Week. A semana nova-iorquina de moda deu a largada nos desfiles primavera-verão 2011 lá fora. Ainda vem por aí Londres, Milão, Paris e Tóquio para fechar o ciclo de desfiles e definir as tendências da próxima estação. Durante a semana, o complexo cultural Lincoln Center, em Manhattan, recebeu as peças primavera-verão 2011 de alguns das mais renomados estilistas e marcas do circuito fashion, como Marc Jacobs, Calvin Klein Collection, Alexander Wang, Carolina Herrera, Oscar de la Renta e os brasileiros Alexandre Herchcovitch — que desfilou a mesma coleção mostrada por aqui na última São Paulo Fashion Week — e Carlos Miele.
A maior parte das tendências que passaram pelo Lincoln Center estava de acordo com o que os brasileiros mostraram nas semanas de moda do Rio e São Paulo, em junho passado. As transparências e os tons neutros firmaram-se absolutos da estação quente. Calças, blusas, saias, vestidos longos e macacões receberam cortes amplos e esvoaçantes, muitas vezes em seda, crepe ou cetim. Tudo leve, como a estação pede e o calor exige. O couro caramelo — ou camelo — se repetiu em cintos, bolsas, sapatos e apareceu também em casacos e bermudas. O branco e o off white dominaram as cartelas de cores de grande parte dos desfiles, mas o coral e os diferentes tons de azul — do turquesa ao cobalto — apareceram para animar as paletas. E viva o verão!

Calvin Klein Collection

(foto: AFP PHOTO/Emmanuel Dunand )
(foto: AFP PHOTO/Emmanuel Dunand )

Já há algumas temporadas a Calvin Klein Collection, comandada pelo brasileiro Francisco Costa, tem colocado na passarela coleções minimalistas e feito do conceito “menos é mais” sua marca registrada. Por isso, agora que a moda tem deixado de lados excessos para voltar à simplicidade dos anos 1990, ninguém melhor que ela para traduzir a tendência em roupas. Para o verão 2001, essa tradução se dá basicamente em branco e preto, decotes em “V” e o contraste entre formas fluidas e esvoaçantes e peças estruturadas. Mesmo com looks monocromáticos, cortes amplos e saias de comprimentos discretos, a coleção prova que o minimalismo não precisa ser monótono e pode sim, ser sexy.

 

 

 

 

 

 

 

 

Tommy Hilfiger

(foto: AFP PHOTO/Emmanuel Dunand )
(foto: AFP PHOTO/Emmanuel Dunand )

No ano em que a grife comemora 25 anos de sucesso, Tommy Hilfiger preferiu não sair da fórmula que faz da marca uma das preferidas das moças bem nascidas e das nem tanto também. Roupa esportiva e colorida, do tipo que todo mundo usa e, por isso, não fica muito tempo nas araras. O vermelho, o azul e o amarelo foram mesclados a tons mais claros, como o branco, o rosa bebê, o caramelo e o azul bebê em casacos, saias evasê, blazers e cardigãs, numa coleção que trouxe os clássicos do vestuário com uma pegada urbana e preppy, ao melhor estilo Gossip Girl.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DKNY

(foto: REUTERS/Kena Betancur )
(foto: REUTERS/Kena Betancur )

Nada de peças conceituais. A DKNY colocou na passarela uma coleção usável, de vestir inteira e sair pronta. O verão da marca é focado na alfaiataria, presente em calças, bermudas e saias lápis compridas, acima do tornozelo ou curtas. Os babados e as cinturas marcadas também apareceram em vestidos e saias, algumas vezes combinados com cintos finos e laços superfemininos. Na cartela de cores, cáqui, azul e vermelho. O lenços apareceram amarrados no pescoço e emprestaram suas formas a blusas e vestidos. O cenário do desfile, com frases e cores vivas em cartazes, uma homenagem à cidade, foram um show à parte.

 

 

 

 

 

 

 

 

Betsey Johnson

(foto: AFP PHOTO / Elizabeth Pantaleo)
(foto: AFP PHOTO / Elizabeth Pantaleo)

A moda ao estilo Betsey é uma divertida brincadeira. Intitulada Le Tour de Betsey, a coleção foi inspirada no ciclismo e trouxe para a passarela a moda esportiva sob um ângulo um pouco mais fashion — e colorido. Leggins, bodies e colares feitos de corrente de bicicleta dividiram a passarela com corseletes, vestidos longos e saias rodadas com estampas de poá, listras, florais grandes e babados. O estilo navy também apareceu nas lingeries e em camisolas longas. O colorido estava até na maquiagem das modelos, que entraram na passarela de olhos verdes e boca pink.

 

 

 

 

 

 

 

Carlos Miele

(foto: REUTERS/Jessica Rinaldi )
(foto: REUTERS/Jessica Rinaldi )

A coleção do brasileiro teve uma novidade: ele resolveu tirar da primeira fila dos seus desfiles a joalheira Ivanka Trump e levar para a passarela. A parceria foi elogiada pela crítica. “Os dois fizeram linda música juntos”, comparou o site especializado Style.com. O desfile priorizou os neutros, como o nude, o branco e o off white, mas deu voz, em outros looks, ao verde cítrico, ao laranja, ao azul e a uma delicada estampa de borboletas coloridas, que trouxe para a passarela o puro estado de liberdade, segundo o estilista. A melhor parte da coleção mais uma vez ficou nos vestidos luxuosos de festa, especialidade de Miele.


No que apostar
# Look branco total
# Couro caramelo, o camelo
# Rasteiras e plataformas baixas com salto de corda
# Tons neutros, como o cáqui, o nude e o off white
# Coral
# Transparência

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade