Publicidade

Correio Braziliense BICHOS

Olha o passarinho!

Tirar fotos do seu animal de estimação não é tarefa das mais fáceis. A Revista dá algumas dicas de como imortalizar os momentos mais importantes da vida do seu pet


postado em 22/10/2010 19:25 / atualizado em 23/10/2010 21:22

Jedai e Sushi costumam ser fotografadas pela dona, que também já recorreu a um profissional(foto: Rafael Ohana CB/D.A.Press)
Jedai e Sushi costumam ser fotografadas pela dona, que também já recorreu a um profissional (foto: Rafael Ohana CB/D.A.Press)

Tirar fotos dos animais não é tarefa fácil. Alguns se movimentam demais, outros se assustam com o flash da câmara, e nenhum deles entende ao certo o que está acontecendo. Mas isso não chega a ser um empecilho para os donos, que não abrem mão de imortalizar alguns dos momentos mais importantes da vida do pet — seja com a ajuda de um profissional, seja eles mesmos arriscando uma clicada ou outra.

A advogada Cláudia Reis é uma dessas que adora tirar fotos dos seus cães. Dona de um west highland white terrier de 4 anos, o Sushi, e de um vira-latas de 7, o Jedai, ela coleciona várias imagens dos bichos em seu computador e explica que considera importante registrar cada fase da vida deles. “Tenho foto do Sushi ainda filhotinho. Ele era lindo e sempre gostou de tirar fotos. Já o Jedai é mais tímido, mas, sempre que dá, tiro fotos dele também.” Além de posar para as suas lentes, os bichinhos de Cláudia foram fotografados por um profissional, que preparou um pet book. “O resultado do trabalho é maravilhosos. Acho que vale a pena. Além das fotos ficarem lindas, é uma lembrança sua com os seus cachorros.”

Para Rubens Rebouças, que há cinco anos trabalha como fotógrafo de animais, fazer fotos dos bichos exige uma boa dose de paciência e disposição. “Você precisa se dedicar, esperar o tempo deles. Os animais não ficam à vontade no estúdio, é você quem precisa entrar no universo deles e aguardar o melhor momento para bater a foto”, explica. Ele conta que a ideia de se especializar em pet surgiu de uma cliente. “Ela havia me convidado para fazer um book e, durante o trabalho, chamava os gatos para aparecerem nas fotos. No final, ela admitiu que o objetivo maior era fotografá-los.” Após essa experiência, Rubens decidiu ampliar a área de atuação. Hoje, produz pet books e afirma que a procura por esse tipo de serviço é grande. “Muita gente quer fazer o book porque sabe que a vida do animal é curta, e a fotografia é uma forma de guardar aquela lembrança.”

Uma das fotos do pet book de Tiffany e Aica: poses para a lente de um fotógrafo especializado(foto: Rubens Rebouças/Divulgação)
Uma das fotos do pet book de Tiffany e Aica: poses para a lente de um fotógrafo especializado (foto: Rubens Rebouças/Divulgação)

A comerciária Rosana Rodrigues conta que chorou de emoção ao receber o pet book. “No livro, havia um texto dizendo que só conhece o amor verdadeiro quem tem um bicho de estimação. Eu concordo com isso. Os animais são leais aos donos. É um amor incondicional,” derrete-se. Rosana tem uma yorkshire de 3 anos, a Tiffany, e uma rottweiler de 8, a Aica. Ela explica que sempre gostou de tirar fotos das cachorras. “Sempre tive o hábito de fotografá-las, mas as fotos feitas por um profissional ficam bem mais harmoniosas.”

Para conseguir um bom material, Rubens dá algumas dicas. “Em primeiro lugar, é fundamental saber esperar e estar pronto no momento certo do clique. Escolher um local onde o animal se sinta à vontade também é importante — geralmente, eles ficam tensos ou tímidos quando não reconhecem o ambiente.” Segundo ele, fotos ao ar livre também podem ser interessantes por causa da iluminação natural. No entanto, admite que controlar o animal em ambientes abertos pode dificultar o trabalho. Com relação ao equipamento, Rubens indica máquinas semiprofissionais, com lentes de grande abertura e flash. “Isso ajuda a congelar o momento, o que facilita o trabalho quando os animais estão inquietos”, ensina.

O fotógrafo também explica que é difícil fazer o animal posar para foto e que, muitas vezes, é melhor nem tentar. “Pose, só se ele for muito obediente. Geralmente, os animais não param numa posição. Nesses casos, o melhor é observar os trejeitos do bicho e fazer as fotos buscando captar gestos e expressões característicos deles.”

Para sair bem na foto
- Dias nublados são perfeitos para fazer cliques ao ar livre. A iluminação uniforme permite que a foto seja tirada de qualquer ângulo.
- Um bom banho e uma escovação no pelo deixam qualquer modelo mais elegante.
- Aguarde o tempo do animal. Caso ele esteja preguiçoso, o estimule com petiscos e brincadeiras.
- Se optar por fazer as fotos em casa, prefira um fundo com menos elementos, assim o animal ganha destaque.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade