Publicidade

Estado de Minas CASA

Para fora das paredes

Até pouco tempo atrás, o PVC era sinônimo de tubulação. Agora, tem sido cada vez mais usado na decoração


postado em 08/04/2011 18:57 / atualizado em 08/04/2011 19:25

Quem já se acostumou a ver o PVC apenas como parte da tubulação de casas está parado no tempo. Hoje, é matéria-prima na decoração de ambientes modernos. A arquiteta Soraya Brixi afirma que, ao alcance da vista, o material tem conquistado a cada dia mais espaço, com aplicações em forros, esquadrias de portas e janelas, divisórias, piscinas, decks e lambris. “Além da beleza estética, ele oferece durabilidade, resistência e facilidade de manutenção e aplicação.” Ainda de acordo com a arquiteta, o PVC tem passado por um processo de evolução e isso agregou novas características de texturas e cores. Por ser produzido em manta de grande dimensões, proporciona também a redução de tempo e de mão de obra para sua aplicação, ao contrário daqueles que vêm em placas ou lâminas.

Para o arquiteto Marcelo Aflalo, uma das melhores aplicações do PVC é nos batentes das portas, principalmente em casas localizadas no litoral. “Ele é mais barato e durável que o alumínio”, justifica. Outra boa aplicação é no quarto de crianças, por ser mais fácil de limpar. Mesmo assim, Marcelo afirma que ainda há um certo preconceito com o uso do material no mercado residencial. “Os clientes de classe média e alta não gostam muito da ideia.”

Matéria-prima renovável
O PVC (policloreto de vinila), também conhecido como vinil, é um tipo de plástico diferente dos demais. Segundo o engenheiro químico Miguel Bahiense, esse material é o único que não é completamente derivado do petróleo. Sua matéria-prima principal é o sal marinho — 57% da resina de PVC, em peso, origina-se dele. “Os 43% restantes correspondem ao petróleo, mas que já pode, inclusive, ser substituído pelo eteno, produzido a partir da cana-de-açúcar, o que permite a resina ser derivada de matérias-primas totalmente renováveis.” Entre as principais características, aponta o engenheiro, estão a resistência à ação de fungos, bactérias, insetos e roedores, e a impermeabilidade a gases e líquidos. Além disso, o PVC é um bom isolante térmico, elétrico e acústico.


(foto: Dário de Freitas/Divulgação)
(foto: Dário de Freitas/Divulgação)

Neste quarto, o piso em PVC é uma imitação de carvalho rústico. Ele é composto por uma camada na superfície que previne o desgaste, uma com o desenho da madeira, uma para amortecimento de impacto e outra que confere firmeza ao material. O projeto é assinado pela arquiteta Shenia Nogueira.

(foto: Dário de Freitas/Divulgação)
(foto: Dário de Freitas/Divulgação)

A sala de estar conta com um papel de parede feito de PVC com duas texturas diferentes. Essa combinação, juntamente com o estilo da mobília e o restante da decoração, conferiu um ar rústico ao ambiente. O projeto é assinado pela Bombinex.

(foto: Claudem Bonifácio/Divulgação)
(foto: Claudem Bonifácio/Divulgação)

O escritório é composto de área de trabalho, reuniões, estar, café, jardim e galeria. No espaço, foi usada uma manta de PVC — imitando madeira rústica com os efeitos de textura e a sensação do toque próprio da madeira. Ela cobre a parede principal e quase a totalidade do piso. O projeto é assinado pela designer de interiores Soraya Brixi.

 

(foto: Claudem Bonifácio/Divulgação)
(foto: Claudem Bonifácio/Divulgação)

O jardim de inverno de 70 m² tem piso de PVC. A designer responsável pelo ambiente, Stella Lopes, explica que o material foi escolhido porque parece madeira, mas é lavável e ecológico. “Já que é reciclado, não requer manutenção, é mais barato e ainda não faz barulho quando se anda sobre ele.”

  • Tags
  • #
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade