Publicidade

Estado de Minas BELEZA

Cuidado íntimo

A saúde ginecológica está ligada diretamente a hábitos de higiene. Sabonetes líquidos e similares são úteis nesse intuito, mas só aqueles que não agridam o pH natural


postado em 13/05/2011 13:09 / atualizado em 13/05/2011 21:15

Com certeza, você já escutou (e passou adiante) algum conselho ensinado desde cedo por avós e mães do tipo “não se sente em qualquer vaso sanitário para não pegar infecção”; “nunca use calcinhas de outras meninas”; “não se esqueça de lavar as mãos antes e depois de ir ao banheiro”; “não fique o dia todo com biquíni”. E por aí vai. Boa intenção à parte, às vezes esses ensinamentos deixam margem a dúvidas e temores infundados.

Para o ginecologista Sergio Mattioda, não existe uma regra geral para a mulher fazer a higiene pessoal. O médico, porém, alerta para alguns cuidados diários na hora do banho. “A genitália feminina deve ser higienizada apenas por fora. O uso de ducha e sabonetes convencionais (na parte interna) é contraindicado porque altera o pH natural, predispondo a processos inflamatórios e infecciosos”, aconselha.

A má higiene, conforme o ginecologista, pode levar a irritações causadas pela proliferação de bactérias. “Quando exacerbadas, podem passar a agredir os tecidos e provocar processos inflamatórios e infecciosos, como corrimentos e vulvovaginites, entre outros”, explica. Os protetores de calcinha também prejudicam a defesa do órgão genital porque comprometem a ventilação perineal.

A duchinha tem sua utilidade para eliminar resíduos após os atos de urinar e defecar. O papel higiênico serve apenas para enxugar a umidade dos tecidos. “Eles não garantem uma adequada higiene e, além disso, traumatizam os tecidos em contato com a pele”, avisa Mattioda. O ginecologista aconselha o uso de papéis macios, brancos, sem desenhos ou cores e, principalmente, não perfumados.

De olho na prevenção de doenças ginecológicas, a indústria tem desenvolvido aliados da higiene íntima. Hoje em dia, há sabonetes íntimos desenvolvidos especialmente para manter em equilíbrio o pH da genitália. A seguir, mostramos alguns desses produtos e descrevemos suas características. Antes de adotá-los é sempre bom ouvir o que o seu médico tem a dizer.

Tire suas dúvidas
Na hora do banho
A temperatura ideal é morna, mesmo no inverno. A água muito quente tira a proteção natural da pele. Jamais use duchas internas.

No período menstrual
Redobre a higiene nesse momento e evite o acúmulo de sangue no absorvente. Dê preferência aos absorventes externos.

Calcinhas sintéticas ou de algodão?
Roupas íntimas de algodão são muito mais adequadas, especialmente as brancas, por não apresentarem corantes. As fibras sintéticas não permitem a ventilação ideal da vulva — lycra e materiais semelhantes deixam a genitália mais úmida e, consequentemente, mais sujeita à proliferação de fungos.

Lavagem das roupas íntimas
Prefira lavá-las com sabão neutro e capriche no enxágue. Não deixar resíduos de sabão com o intuito de perfumar o tecido — isso prejudica a pele. Na medida do possível, evite também o uso de amaciantes. Se for necessário alvejá-las, devem ser fervidas ou alvejadas ao sol. Na hora de passar, é melhor virá-las do avesso. Não use peças íntimas de outra pessoa.

Fonte: Sergio Mattioda, Médico gineco-obstetra, mestre em oncologia ginecológica pela Universidade de Brasília (UnB).
Agradecimento: Clínica Saúde Integral da Mulher


Natura Higeia

(foto: Natura/Divulgação)
(foto: Natura/Divulgação)
O sabonete líquido íntimo (R$ 23,80) e os lenços umedecidos (R$ 13) são os lançamentos da Natura para a higiene íntima da mulher. Podem ser usados diariamente, inclusive no período menstrual. Dermatológica e ginecologicamente testados, os dois produtos possuem pH fisiológico e fragrância neutralizadora de maus odores.

 

 

 

 

Dermacyd, da Sanofi-Aventis

(foto: Dermacyd/Divulgação)
(foto: Dermacyd/Divulgação)
A marca oferece fragrâncias íntimas em duas versões: dermacyd adulto (R$ 19,90) e dermacyd teen (R$ 14,90). A linha também inclui lenços umedecidos pós-banho — dermacyd pocket (R$ 7,90). Todas as embalagens vêm com o selo pH Equilibrium. Ginecologicamente testados.



Kronel, da Hebron Farmacêutica
(foto: Monique Renne/CB/D.A.Press)
(foto: Monique Renne/CB/D.A.Press)
Trata-se de um sabonete líquido que promete manter a mucosa genital saudável. A fórmula possui ativos de aroeira, árvora conhecida por sua forte ação bactericida e fungicida — R$ 10.

 

 

 

 

Vitturia

(foto: Vitturia Cosméticos/Divulgação)
(foto: Vitturia Cosméticos/Divulgação)
A Vitturia Cosméticos desenvolve produtos de higiene íntima para ambos os sexos. Composto por óleo de melaleuca e de menta, extratos de tomilho, de malva e de rosmarino, o sabonete líquido não agride as mucosas. Possui propriedades bactericidas e anti-sépticas — R$ 22.

 

 

 

Íntimo, da Lumi

(foto: Lumi Cosméticos/Divulgação)
(foto: Lumi Cosméticos/Divulgação)
Formulado para higiene diária da mulher e do homem, o sabonete promete não alterar o pH natural da região genital. Dermatologicamente testado — R$ 16,90.

 

 

 

 

Intimus, da Kimberly-Clark

(foto: Kimberly-Clarky/Divulgação)
(foto: Kimberly-Clarky/Divulgação)
O lançamento da marca é um protetor de uso diário, com fórmula à base de ácido lático — R$ 2,60. CONFERIR!

 

 

 


Lucretin

(foto: Lucretin/Divulgação)
(foto: Lucretin/Divulgação)
A marca desenvolveu uma linha de produtos para higiene íntima para as diversas fase da mulher, desde a puberdade até a menopausa. Formulação hipoalérgica, à base de ácido lático e ginecologicamente testada. Lucretin Mulher Lenços Umedecidos (R$ 7,10), Lucretin teen e mulher (R$ 15) e Lucretin mature e gestante (R$ 19).

 

 

 

  • Tags
  • #
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade