Publicidade

Estado de Minas BELEZA

Em nome da pele

Mulheres cada vez mais jovens buscam produtos antienvelhecimento. O mais importante, segundo médicos, é usar a substância correta


postado em 28/07/2011 20:25 / atualizado em 29/07/2011 20:03

Andressa Lima, 20 anos (foto: Carlos Vieira/Esp. para o CB)
Andressa Lima, 20 anos (foto: Carlos Vieira/Esp. para o CB)

O que ela usa:

Creme anti-idade Derm aox, La Roche
Protetor solar Minesol antioxidante serum 30, da Roc

 

Alguns historiadores e aventureiros dedicaram a vida a procurar a fonte da juventude. Alquimistas de séculos passados combinaram diversos elementos em busca de um elixir para ser eternamente jovem. No mundo contemporâneo, o novo desafio é encontrar o perfeito creme antirrugas. Recentemente, rumores do lançamento de um creme com a toxina botulínica tipo A, comercialmente conhecida como Botox, deixaram o mercado consumidor agitado. O fabricante do Botox, Allergan, esclareceu que, apesar dos estudos, ainda não existe um medicamento de uso tópico com a substância. Isso porque os pesquisadores ainda não encontraram uma consistência ideal para penetrar na pele e alcançar o efeito do tratamento injetável.

Enquanto isso, as pessoas continuam recorrendo aos cremes anti-idade. Para dermatologistas, no entanto, a maioria dos produtos tem um efeito apenas cosmético, devido à baixa concentração de substâncias consideradas essenciais para o processo de renovação celular. Por isso, antes de aderir à última novidade das prateleiras e investir em produtos caros, é recomendável consultar um especialista. “O médico saberá indicar o medicamento mais eficaz, de acordo com a necessidade de cada paciente. Ele sabe, inclusive, qual a melhor forma de apresentação, se em creme ou gel, por exemplo”, afirma o dermatologista e presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), Gilvan Alves. Associado a um tratamento específico, ele recomenda o uso de protetor solar todos os dias.

 

Alessandra Lessinger, 30 anos(foto: Carlos Vieira/Esp. para o CB)
Alessandra Lessinger, 30 anos (foto: Carlos Vieira/Esp. para o CB)

O que ela usa:

Protetor solar Minesol 30 oil control, da Roc
Creme anti-idade Revaleskin intense recovery
Água Termal com creme anti-idade Ystheal, da Àvene

 

Embora a faixa etária mais comum para se iniciar o uso desses produtos seja por volta dos 30 anos, jovens de 20 anos já procuram tratamento antienvelhecimento. De acordo com os dermatologistas, não há grandes problemas em iniciar o uso antes da idade adequada. “O risco está, na verdade, na má indicação. Quando isso ocorre, o paciente pode não ter as expectativas atendidas ou sofrer reações indesejadas”, completa o dermatologista do Rio de Janeiro, especialista pela SBD, Marcelo Brollo.

A estudante de direito Andressa Lima começou a se precaver cedo. Com 20 anos, ela faz visitas regulares ao dermatologista, que sugeriu o uso de cremes antienvelhecimento. Apesar de ainda não conseguir enxergar os efeitos, Andressa acredita na importância do uso. “Se você previne o envelhecimento da pele desde nova, mais tarde não precisará combater as rugas de maneira tão efetiva. Os resultados a longo prazo serão bem melhores”, justifica.

A preocupação com a pele clara e com as linhas de expressão levaram a arquiteta Alessandra Lessinger a procurar um dermatologista. Aos 30 anos, ela usa produtos antienvelhecimento há quase uma década e promete continuar se cuidando. “É importante cuidar da saúde da pele e, ao fazer isso, acabamos ganhando pelo lado da estética também. Sou a favor de unir o útil ao agradável. Vou continuar investindo nos creminhos e tratamentos por muito tempo”, diverte-se Alessandra.

Efeito promissor

Milagres não existem, garante Leandra Sá, farmacêutica e consultora da Farmacotécnica. Porém, ela ressalta o sucesso do uso de produtos no tratamento anti-idade. Leandra aponta como grande novidade os cremes à base de peptídeos, estimulantes de colágeno para a diminuição das rugas e aumento da densidade da pele. “As vitaminas nunca devem ser esquecidas, porque mesmo as publicações científicas mais antigas já destacam as vitaminas A, E e C como muito benéficas para a pele. Mas a grande tendência mercadológica atualmente, por causa da eficácia, são produtos com peptídeos”, conclui.

Entenda o rótulo

Antioxidantes
São substâncias que atuam de prevenção aos danos celulares. Evitam a oxidação da pele e por isso, diminuem o aspecto envelhecido e previnem o envelhecimento.

Vitamina C
É o mais famoso entre os antioxidantes e tem muitas apresentações diferentes. Uma nova forma mais ativa da vitamina C, acoplada à glicose, adere mais facilmente à pele e tem maior estabilidade. Tem ainda um efeito de proteção ao colágeno e à elastina, ajuda na estruturação e clareamento da pele.

Vitamina E
Assim como a vitamina A, a E é grande estimuladora da renovação celular. Também previne os danos celulares causados pela luz solar.

Ácido retinoico
Derivado natural da vitamina A, atua no DNA da célula da pele, aumentando a capacidade de renovação.

Ácido hialurônico fracionado
Atua no preenchimento de rugas, proporciona firmeza e elasticidade, além de reestruturação epidérmica e renovação celular.

Peptídeos
Estimula a produção de colágeno, o que reduz as rugas e aumenta a densidade da pele.

  • Tags
  • #
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade