Publicidade

Estado de Minas BELEZA

Uma senhora barba

O visagismo chega ao universo masculino com a promessa de realçar o visual com a ajuda do barbeador


postado em 25/08/2011 17:03 / atualizado em 26/08/2011 21:44

(foto: Carlos Vieira/Esp.CB/D.A.Press)
(foto: Carlos Vieira/Esp.CB/D.A.Press)
Falar que os homens estão cada vez mais vaidosos e preocupados com a aparência não é novidade. Mas será que eles sabem como escolher o corte de barba mais adequado ao formato do rosto, levando em conta tanto a estética quanto o estilo de vida? Essa é a proposta do chamado visagismo (HIPERTEXTO) de barba. O desenho dos pelos realça ou suaviza as linhas do rosto — uma sutil mudança capaz de fortalecer a autoestima e afinar a “mensagem” que se deseja transmitir.

“Nós procuramos fazer uma leitura do perfil das pessoas, de sua personalidade, profissão e características físicas, para, então, decidir aquilo que melhor se encaixará”, explica o técnico de beleza Augusto Moraes. Segundo ele, o método já existe há cerca de 40 anos no Brasil, mas apenas recentemente essa forma de trabalhar com o visual vem sendo aplicada também às barbas dos homens.

Para o cabeleireiro Daniel Sobreira, seu novo corte ajudou a alargar mais o rosto e a enfatizar linhas da sua feição. “Não gosto de usar a barba fechada, prefiro mais curta, e esse modelo que estou agora ajudou a definir mais meu rosto, dando um ar meio despojado. Nunca tinha feito esse visagismo, mas gostei bastante do resultado. Acho interessante experimentar”, comenta

Visagismo

Do francês “visage” (rosto), o visagismo busca ser um sistema harmonizador dos traços físicos e psicológicos da pessoa. Para isso, trata as características naturais como linguagem, podendo lançar mão de artifícios, como maquiagem, penteado e coloração de fios, para frisar uma qualidade buscada.

(foto: Pablo Alejandro/CB/D.A.Press)
(foto: Pablo Alejandro/CB/D.A.Press)

 

(foto: Pablo Alejandro/CB/D.A.Press)
(foto: Pablo Alejandro/CB/D.A.Press)

 

(foto: Pablo Alejandro/CB/D.A.Press)
(foto: Pablo Alejandro/CB/D.A.Press)

 

(foto: Pablo Alejandro/CB/D.A.Press)
(foto: Pablo Alejandro/CB/D.A.Press)

Passando a gilete
A barba de um homem adulto cresce por volta de um centímetro por mês. Portanto, quem gosta de manter o rosto livre de pelos tem, pelo menos, um encontro semanal com o espelho e as lâminas ou aparelhos de barbear. Fazer a barba diariamente agride a pele. E, para não ter problemas com irritações, pseudofoliculite (os pelos encravados), ferimentos e até mesmo micoses e infecções, é importante tomar algumas precauções.

A primeira medida a ser tomada é, antes de se barbear, aquecer o rosto com água ou toalha mornas — quase quentes, mas com cuidado para não se queimar —, de modo que os pelos fiquem amaciados e mais fáceis de retirar. Também é recomendável hidratar a pele antes, com espuma, gel ou creme próprios, de modo a facilitar o corte e evitar o ressecamento da pele. Se for usar lâmina, o gel é a melhor opção.

De acordo com a cabelereira Eliane Pessoa, especializada em visagismo de barba, o uso de filtro solar ou bronzeador logo após o barbear não é um bom negócio. O mesmo vale para o contato com a água do mar ou de piscina, que pode irritar a pele. Ela recomenda proteger a epiderme com produtos pós-barbas, que deixam uma sensação de limpeza, maciez e frescor.

Caso sua escolha seja o uso de alguma lâmina, deve-se, sempre, começar o barbear pela lateral da bochecha, no sentido que o pelo nasce. “Deve-se procurar usar lâminas novas para evitar machucados, pois elas não estão enferrujadas ou cegas. Baixar o volume da barba, antes de tirar, também ajuda”, afirma Eliane.

Outra dica é reaplicar os produtos de hidratação, após o primeiro corte, para realizar o barbear no sentido contrário, de modo a deixar a pele mais lisa. Por fim, deve-se enxaguar o rosto com água em abundância e secá-lo, levemente, com toalha.

Agradecimentos: Lord Perfumaria e GA.MA Italy

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade