Revista

A cara do seu lanche

Seu filho se nega a comer alimentos saudáveis? Experimente servi-los de maneira mais criativa. O bentô é uma arte que transforma pães, frutas e legumes em divertidos personagens infantis

postado em 09/09/2012 08:00

Seu filho se nega a comer alimentos saudáveis? Experimente servi-los de maneira mais criativa. O bentô é uma arte que transforma pães, frutas e legumes em divertidos personagens infantis

Seu filho faz cara feia quando você oferece jiló? Isso é o de menos. Na última década, as crianças passaram a rejeitar uma lista de alimentos, mais até do que esse famoso, e amargo, fruto. Cenoura, alface, tomate, chuchu, e outros ingredientes nutritivos foram deixados de lado no prato dos pequenos. Eles preferem batata frita e sanduíche a qualquer outra refeição saudável. Atenta a esse comportamento, a empresária Evelyne Ofuji decidiu compartilhar uma técnica japonesa que promete despertar a curiosidade nos pequenos por ingredientes considerados fora de cogitação. Há poucos meses, ela deu início às aulas de bentô kids, que em japonês quer dizer marmita para crianças. A ideia é tornar a comida, antes rejeitada, bem atrativa. Com um pedaço de cenoura, duas fatias de pão integral e uva-passa dá para fazer um saboroso cãozinho em cinco minutos, por exemplo.

"Enquanto pais e filhos preparam o bentô juntos, o adulto pode usar a criatividade para transformar a comida em personagens de desenho animado ou em bichinhos que atraem as crianças pelo aspecto lúdico", ensina Evelyne. Como o uso de faca não é seguro para as crianças, no preparo do bentô vale cortar partes sobressalentes do lanche com os próprios dentes. Nessa etapa, meninos e meninas acabam experimentando um pedaço de tomate, de cenoura ou de ameixa, por exemplo. O resultado? O despertar do paladar das crianças para sabores, até então, desconhecidos.

As aulas acontecem no espaço para cursos da nutricionista Fernanda Penha. Em pouco tempo, a especialista observou que as aulas de bentô kids não só ensinavam aos pais uma maneira criativa de apresentar os alimentos às crianças, como também promoviam um momento de interação familiar. "Preparar a comida com seu filho, em vez de delegar a tarefa sempre a um funcionário da casa, estreita a relação entre os dois e responsabiliza os pais pela alimentação dos pequenos. Eles passam a dedicar atenção às refeições dos filhos, por vezes, feitas em lanchonetes e sem qualquer orientação", observa a nutricionista.

Esse tipo de preocupação com o cardápio das crianças ganhou grande repercussão neste ano, após divulgação da última Pesquisa de Orçamentos Familiares, feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em parceria com o Ministério da Saúde. O dados revelam que o número de crianças entre 5 e 9 anos com sobrepeso cresceu consideravelmente de 1989 a 2009. Entre os meninos acima do peso, a porcentagem saltou de 15% para aproximadamente 35%. Enquanto a variação entre as meninas passou de 12% para 32%.

"A alimentação saudável das crianças também é uma questão de comportamento da família. Se os pais não comem as vitaminas e os nutrientes necessários, fica difícil darem o exemplo", ressalta a nutricionista. Essa foi a dificuldade que a bibliotecária Paloma Guimarães, 34 anos, enfrentou por um bom tempo até começar a fazer as aulas de bentô. Antes, a mãe de primeira viagem não sabia o que poderia ou não dar de lanche para o filho mais velho, João Felipe, 4 anos. O menino tomava muito refrigerante e comia lanches industrializados. "Essa alimentação é um reflexo dos hábitos que meu marido e eu tínhamos. Além disso, não tinha tempo para controlar o que meu filho comia, por conta do trabalho", desabafa.

Quando Paloma decidiu ter uma vida saudável, ela passou a valorizar alimentos que, antes, não estavam na despensa. Vestiu o avental e passou a preparar o lanche que João Felipe levaria para a escola. "As aulas de bentô me ajudaram a criar sanduíches diferentes, com legumes e frutas que meu filho não comia. Também passei a fazer biscoitos em formas divertidas. Percebi, por exemplo, que depois de usar fruta seca para fazer o olho de um bichinho do bentô, ele começou a adorar passas e ameixas", comemora.

Hoje, João Felipe abre um sorriso quando o lanche é biscoito integral em formato de foguetes ou bolo de banana feito com fécula de batata. E nada de salgadinhos, biscoitos recheados e frituras. "Quero que o meu caçula, Pedro, que ainda não fez um ano, se alimente tão bem quanto o mais velho. Só não prometo fazer todos os dias o sanduíche com cara de cão, senão eles não vão comer outra coisa", brinca Paloma.


Aprenda a fazer bentô para as crianças

Coruja de goiaba

Ingredientes:
Uma goiaba
Uma fatia de maçã
Uma uva-passa

Passo a passo:
Seu filho se nega a comer alimentos saudáveis? Experimente servi-los de maneira mais criativa. O bentô é uma arte que transforma pães, frutas e legumes em divertidos personagens infantis
1; ; Corte uma fatia da goiaba e separe a tampa para dividi-la ao meio e formar as asas da coruja;

2; ; Corte dois pedaços bem pequenos da maçã para ser os olhos;

3; ; Corte a uva-passa ao meio: cada parte será o os olhos da coruja a ser devorada no lanche.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação