Publicidade

Estado de Minas ENCONTRO COM O CHEF

Um luxo de pub

O Old Barr muda o cardápio e oferece pratos mais sofisticados, que misturam uma pitada da tradição gaúcha com uma dose do gosto diversificado de quem come lá. Tudo sem perder o charme do ambiente londrino


postado em 09/09/2012 08:00 / atualizado em 07/09/2012 15:18

(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Não é preciso conhecer Londres para saber o quão famosos são os seus pubs. Os estabelecimentos, licenciados para vender bebidas alcoólicas, fazem parte da cultura londrina e — se me lembro bem da minha visita à capital inglesa — eles são pontos turísticos indispensáveis. São inúmeros espalhados pela cidade, capazes de preencher muitos dias de passeio. Não é preciso, porém, atravessar o Atlântico para sentir um pouco do clima desse universo. E, se depender do chef Richard Schneider, você pode começar a conhecê-lo pelo sabor dos pratos criados por ele, que não só trazem um pouco da culinária tradicional inglesa, mas apresentam o tempero do Sul do Brasil e as preferências cosmopolitas da clientela.
À frente Old Barr, ele mudou recentemente o cardápio para dar sofisticação ao que é servido no pub. Misturou suas influências gaúchas — que ainda levam pitadas alemãs e italianas — com a diversidade do gosto dos clientes, já que o pub funciona dentro de um hotel que recebe pessoas do mundo inteiro. “Temos tipos de clientes distintos: os hóspedes; aqueles que participam de eventos, e ainda os que vêm apenas nos fins de semana”, explica. Entre eles, há ainda outra divisão: os que se sentam ao bar para beber e os que preferem jantar.
“Para os primeiros, o cardápio oferece petiscos, porque eles vão querer beliscar algo. Os que jantam têm opções diversas. Mas, os dois têm algo em comum: são muito exigentes”, aponta Richard. Entre os petiscos, destaque para a costelinha de porco ao molho barbecue com batatas fritas; e o hambúrguer de cordeiro com cebolas fritas embebidas em cerveja, com queijo e molho barbecue. O chef conta que, por ser gaúcho, a cozinha já nasceu com ele, entre churrascos e arroz carreteiro. Porém, brinca que caiu de paraquedas nesse mundo após conseguir um emprego na cozinha de um hospital.
Ao preparar refeições balanceadas para os enfermos, ele foi reconhecendo o que gostava de cozinhar. Depois, aprimorou o conhecimento com quem entende do assunto. Richard já trabalhou com nomes de peso como Alex Atala, Neka Mena Barreto e Francesco Carli. “Apesar de ter vindo do sul, com a cultura da carne, que é uma das coisas que mais me identifico, aprendi mais da alta gastronomia e tomei gosto.”
Um dos diferenciais do seu trabalho é ouvir as preferências dos clientes, algo que tirava de letra quando era chef em Caxias do Sul (RS), cidade que tem fama de defender com unhas e dentes a cultura do gaúcho. Se o prato não saia de acordo com as tradições, o freguês reclamava mesmo. Há 16 anos como chef, hoje ele entende as peculiaridades de quem passa visita seu pub e sabe agradar os gostos de quem come lá e os próprios, claro. Tudo sem perder de vista as novidades. “Conseguimos deixar o pub com um ar sofisticado”, completa.


Veja as receitas na edição impressa da Revista n° 382

 

(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade