Publicidade

Correio Braziliense FITNESS

Coruja de academia

Malhar tarde da noite ou de madrugada é a solução para os muito ocupados, mas há importantes diferenças biológicas a se levar em conta


postado em 31/03/2013 08:00 / atualizado em 29/03/2013 14:54

(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
 

 Trabalhar, estudar, arrumar a casa, cuidar dos filhos e manter a forma não são tarefas das mais fáceis. Dentro desse mar de atividades, o exercício físico fica fora do cronograma. A desculpa é quase sempre a mesma: a falta de tempo. Opções como o Pedal Noturno (grupo de ciclistas que organiza passeios noite adentro) ou academia 24 horas surgiram na capital para atender um público específico: aqueles que não têm tempo para nada. É importante, porém, manter bons hábitos alimentares e um sono de pelo menos sete horas.

O administrador de empresas Maurício Galant, 26 anos, estuda o tempo inteiro. Seu objetivo é passar em um concurso público e, para tanto, ele dedica aos livros, no mínimo, oito horas diárias. À noite, o concurseiro frequenta aulas preparatórias e, só depois, tem tempo para malhar."Chego à academia por volta das 23h30 e saio lá pela 1h30, às vezes, às 2h da madrugada", conta Galant, que se matriculou em uma academia que funciona 24 horas. "Em São Paulo, já existem muitas, até que enfim tiveram essa ideia aqui em Brasília", comemora. O administrador não dorme muito, acostumou-se a ter apenas cinco horas de sono, o que não é recomendado pelos especialistas. "O horário que você vai fazer exercício não altera o rendimento, o importante mesmo é dormir, pelo menos, sete horas por dia e ter uma alimentação balanceada", afirma André Luiz Reis, professor de educação física da Universidade de Brasília (UnB).

Roberta Ramos é professora de musculação numa academia 24 horas — ela entra no trabalho às 23h e sai só às 6h. "O mercado, a modernidade nos trouxeram esse novo mundo, agora é hora de se adaptar", diz. Segundo Roberta, o horário que os alunos treinam não faz diferença para o corpo, mas confirma a teoria de que é preciso compensar o sono de alguma forma. "Se isso não for feito, o aluno fará o exercício cansado, o que não ajuda na formação de músculos", complementa. Os maiores frequentadores da academia nesse horário são profissionais que normalmente estão ocupadíssimos durante o dia. "Vejo muito médico, publicitário, jornalista, estudantes por aqui", comenta a professora.

Segundo os especialistas, o horário mais adequado para praticar exercícios está nas faixas das 6h às 10h e das 16h às 19h, mas algumas pessoas têm melhor rendimento durante a noite. "Nesses horários, os fatores externos, como temperatura e umidade, ajudam na atividade física. Mas não descarto o exercício noturno, isso faz parte de uma característica individual, cada corpo tem um metabolismo diferente", afirma o professor André Luiz. No entanto, quem não se preocupa com a dieta ou com o descanso do corpo prejudica não só o rendimento, mas também o sistema imunológico. "Por ser tarde, muitos acabam não comendo nada antes do treino, isso traz um desgaste grande para o corpo", comenta Reis. A falta de alimento pode causar hipoglicemia, tontura e até desmaio. O ideal é consumir algum tipo de cereal e alimentos que contenham zinco, como a maçã. O zinco ajuda a equilibrar a quantidade do hormônio cortisol, relacionado ao estresse. "Mas não vale encher a barriga, pode causar indigestão", orienta o professor.

Não é o caso de Galant, que, após o treino, toma banho e cai logo no sono. Mas, para muitos, a insônia é um problema. Nesse sentido, o exercício em horários incomuns é contraindicado. "A atividade física deixa o corpo em estado de alerta. Para o nível de adrenalina baixar, são necessárias, pelo menos, duas horas", diz o professor. Importa também manter uma rotina de atividade física, pois o corpo respeita o relógio biológico, ou seja, existe o momento certo para produzir cada hormônio. Se o exercício é feito cada dia em um horário diferente, o metabolismo fica desregulado. Exemplo é o hormônio do sono, a melatonina — que tem produção inibida durante a atividade física. Por isso, quem tem o costume de rolar na cama antes de dormir deve praticar exercícios durante o período da manhã. Se só tiver tempo à noite, são indicadas atividades físicas como relaxamentos, alongamentos e ioga.

Por não gostar de academia e também ter pouco tempo, a estudante de direito Carolina Silveira, 39, optou pelo Pedal Noturno. O grupo se encontra de segunda a sexta-feira, no Parque da Cidade, por volta das 20h30 e dá um "rolê", como diz Carolina, até as 23h. "É um dos melhores horários para se fazer exercício e ‘desestressar’ do dia", comenta a estudante, que frequenta o grupo há oito meses. Para Carolina, as vantagens de andar de bicicleta à noite são várias, entre elas: poucas pessoas no trânsito e a vista de Brasília. O grupo é composto por cerca de 50 pessoas e só pedala equipado com iluminação e sinalizadores: luz branca na dianteira e vermelha na traseira. "Não existe mais desculpa para quem não tem tempo", afirma a estudante.

Qual é o melhor horário para malhar?

O horário para fazer atividade física vai depender de cada organismo. Existem períodos que contribuem para exercícios específicos.

Manhã

Malhar de manhã pode ser bom para quem tem preguiça. A atividade física durante esse período acelera o organismo e ajuda a criar disposição durante o dia inteiro. Mais indicado para quem tem como objetivo aprimorar técnicas em atividades aeróbicas: bicicleta, caminhada, corrida e natação. Nunca treine de barriga vazia. Se o café da manhã for reforçado, espere pelo menos uma hora — assim, evita-se o risco de refluxo.

Tarde

O fim da tarde é um aliado para o aquecimento. A temperatura do corpo e os níveis de hormônio são propícios para a prática de exercícios anaeróbicos, como a musculação. Testosterona é um dos grandes agentes nesse período — o hormônio é responsável pela construção dos músculos.


Noite

Menos gente na academia e a temperatura mais baixa são as principais vantagens para quem gosta de fazer exercícios à noite. Atividades anaeróbicas são indicadas nesse horário para que o corpo relaxe e se prepare para dormir.

Fonte: André Reis, professor de educação física

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade