Publicidade

Estado de Minas PRIVACIDADE

Revista judaica testa forma de filtrar comentários em site


postado em 10/02/2015 14:19 / atualizado em 10/02/2015 14:40

Ler comentários em portais de notícias é, frequentemente, um ato de coragem. Não raro, quem se habilita a saber o que os outros leitores estão pensando sobre determinada reportagem encontra comentários agressivos, sem conexão com o assunto abordado ou com ofensas (muitas vezes, gratuitas) a outros usuários. Fato é que nem todos os comentaristas da World Wide Web conseguem expor suas opiniões de maneira civilizada. Os mais abusados já têm até apelido no exterior: trolls. O termo é usado para definir aqueles cidadãos que têm como objetivo causar o caos, desvirtuar uma discussão ou simplesmente fazer com que outros usuários percam a paciência. Para tentar acabar com comentários ofensivos ou que não acrescentam nada às matérias publicadas, o site da revista judaica Tablet criou um método polêmico, mas aparentemente eficaz. Agora, quem tiver algo a dizer sobre as reportagens terá que pagar para escrever um comentário. A empresa disponibiliza três opções de pagamento: US$ 2 por dia, US$ 18 por mês ou US$ 180 por ano. Segundo a revista, a decisão foi tomada devido a comentários destrutivos, muitas vezes anônimos, que tumultuavam o site. Se por um lado a iniciativa têm grandes chances de barrar os trolls, como fica a liberdade de expressão? E você, o que acha?

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade