Publicidade

Estado de Minas PHOTO & GRAFIA

Comida caseira


postado em 04/03/2016 17:10 / atualizado em 04/03/2016 17:08

Tia Zélia passou 28 dias aboletada em um pau-de-arara para vir de Buritirama (BA) à Vila Planalto. Já se passaram 40 anos. Trabalhou por 20 em casas de família do antigo acampamento e, com duas panelas e quatro pratos, começou seu restaurante na própria Vila. Hoje, dezenas de panelões brilhantes fazem uma das mais famosas comidas da capital.

 

(foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
(foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)

 

Pela proximidade com a Esplanada, sempre há servidores e políticos. Inclusive, um dos maiores fãs da buchada é o ex-presidente Lula. A cozinheira diz que os clientes a chamam de Tia por que todos fazem parte de sua família. "Trato todo mundo que vem aqui com o mesmo carinho", garante.

 

(foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
(foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)

 

Na terça-feira passada, a chefe de cozinha do Palácio da Alvorada, Andréa Munoz, que já chefiou várias cozinhas da cidade, experimentava o tempero da baiana. Os pratos do dia eram arroz carreteiro, almôndegas, feijãozinho e bisteca de porco. Disse que gostou e que adora comida caseira.

 

(foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
(foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)

 

Para março, Tia Zélia promete novidades: petiscos de boteco que casam bem com um chope. Quem ficou com água na boca tem de esperar até amanhã porque a Tia diz que "não é pobre para trabalhar no domingo".

 

(foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
(foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)

(foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
(foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade