Publicidade

Estado de Minas COLUNA

Adultos jovens com personalidade hostil têm mais problemas de memória

As posturas raivosas podem estar relacionadas ao aparecimento de lapsos, que costumam se manifestar na meia idade


postado em 09/03/2016 12:06 / atualizado em 09/03/2016 12:07

*Por Ricardo Teixeira

 

Adultos jovens com atitudes hostis ou que não cooperam em situações de estresse têm mais dificuldades cognitivas décadas depois. Essa é conclusão de um estudo publicado na ultima semana pela revista Neurology da Academia Americana de Neurologia.

(foto: Crédito: Maurenilson Freire/CB/D.A Press)
(foto: Crédito: Maurenilson Freire/CB/D.A Press)

 

Não costumamos pensar em uma associação entre traços de personalidade e desempenho cognitivo, mas o atual estudo aponta que uma personalidade hostil é comparável a uma década de envelhecimento do pensamento. A pesquisa envolveu mais de três mil americanos com uma média de 25 anos no início do estudo e que foram seguidos por 25 anos. Para medir o perfil de hostilidade dos voluntários os pesquisadores aplicaram um questionário que investigava comportamento agressivo, desconfiança e sentimentos negativos no exercício social. Além disso, o questionário avaliava o “desperdício” de energia em situações de estresse que demandam contínua adaptação a desafios físicos e psicológicos. É mais ou menos o quanto a pessoa é teimosa e continua batendo a cabeça onde não há mais necessidade.

 

Aqueles com mais traços de hostilidade e os que tinham mais "cabeça dura" foram os que apresentavam pior desempenho cognitivo 25 anos depois. Os resultados foram independentes do estado de humor, eventos significativos na vida e discriminação. Outros estudos precisarão ser feitos para confirmar esses resultados. Se confirmados, será preciso entender a melhor estratégia para promover interações sociais positivas. Acho que a psicoterapia deve ser o melhor candidato.

 

*Dr. Ricardo Teixeira é neurologista do Instituto do Cérebro de Brasília e professor de pós-graduação em divulgação científica e cultural na Unicamp.

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade