Publicidade

Estado de Minas

Transparências, tons terrosos e plataformas se destacaram na SPFW

Ao todo, foram cinco desfiles, entre eles Lilly Sarti, Uma Raquel Davidowicz, Amabilis Top 5, Apartamento 03 e Ronaldo Fraga


postado em 26/04/2016 07:29 / atualizado em 26/04/2016 07:43

Lilly Sarti(foto: Marcelo Soubhia/FOTOSITE)
Lilly Sarti (foto: Marcelo Soubhia/FOTOSITE)


A segunda-feira de desfiles da 41ª São Paulo Fashion Week contou com presenças vips como da empresária e consultora em moda Costanza Pascolato, da blogueira e maquiadora Camila Coelho e da atriz Suzana Pires, por exemplo. Ao todo, foram cinco desfiles, entre eles Lilly Sarti, Uma Raquel Davidowicz, Amabilis Top 5, Apartamento 03 e Ronaldo Fraga, o mais esperado da noite.

Uma Raquel Davidowicz(foto: Marcelo Soubhia/FOTOSITE)
Uma Raquel Davidowicz (foto: Marcelo Soubhia/FOTOSITE)


As tendências foram variadas, mas a transparência, os tons terrosos e as plataformas estiveram presentes em quase todas as passarelas. Lilly Sarti abusou de tecidos mais maleáveis, como a seda, a renda e o tule. O desfile, entitulado de Sertão Líquido, teve inspiração em seres fantásticos das lendas populares do sertão nordestino, como a serpente do deserto. As xilogravuras do artistas pernambucano Gilvan Samico também foram referência para Lilly.

Amabilis(foto: Marcelo Soubhia/FOTOSITE)
Amabilis (foto: Marcelo Soubhia/FOTOSITE)


A Uma se inspirou no aniversário de 20 anos da marca e buscou mostrar o seu DNA nessa edição do SPFW. Jeans, looks monocromáticos, tons terrosos, azul marinho e amarelo vibrante foram expostos pelos modelos. O chic aliado ao street wear deu o tom do desfile.

A Amabilis trouxe o metalizado nos acessórios e nas roupas, se diferenciando dos outros desfiles do dia. O tom moderno dominou a passarela e os cabelos seguem a tendência natural, sem penteados elaborados.

Apartamento 03(foto: Marcelo Soubhia/FOTOSITE)
Apartamento 03 (foto: Marcelo Soubhia/FOTOSITE)


Luiz Claudio se inspirou no famoso ilusionaista Harry Houdini para criar a coleção da Apartamento 03. O estilista trouxe referências das camisas de força, das algemas e correntes e das ilusões do mágico em suas peças. As grandes proporções, peças bufantes e plataformas ajudavam a criar ilusões. O rosa chiclete, azul denim e off white predominaram e combinaram bem com a beleza inspirada nos anos 20.

Ronaldo Fraga(foto: Zé Takahashi / FOTOSITE)
Ronaldo Fraga (foto: Zé Takahashi / FOTOSITE)


O último desfile da noite, o Re-Existência de Ronaldo Fraga, foi ovacionado. Inspirado nos refugiados, trazendo tendências étnicas e chamando atenção para um tema importante na atualidade ao mesmo tempo, Ronaldo surpreendeu. Flores, grafismos multicoloridos, cores fortes, aplicações e transparências ilustram a concepção de Fraga. Para ele, a moda surge como uma forma dessas pessoas que perderam todas as suas referências se reencontrarem com suas raízes, re-existirem.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade