Publicidade

Correio Braziliense BELEZA

Fernando Torquatto fala sobre cores e tendências em maquiagem

O maquiador Fernando Torquatto, embaixador global da L'Oréal Professionnel, está em Brasília para evento no Hípica Hall Cultural e conversou com a Revista do Correio


postado em 10/10/2016 18:30 / atualizado em 14/10/2016 17:10

Fernando Torquatto já trabalhou com as estrelas globais mais famosas do Brasil e também com modelos internacionais famosas como Kate Moss, que maquiou quatro vezes. Linda Evangelista também foi agraciada com os pincéis de Torquatto. À Revista do Correio, ele falou sobre tendência em maquiagem e desmistificou a ideia do contorno, técnica usada há muito tempo de forma sutil, mas que ganhou força nos últimos anos como uma forma de mudar completamente os traços de um rosto.

 

(foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
(foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
Você acha que as brasileiras estão mais abertas a cores na maquiagem?

Sim. E isso é reflexo de uma evolução. Elas estão aprendendo a se divertir com a maquiagem, a brincar com ela e a conhecer produtos. Elas, hoje, se sentem com liberdade para usar batons de cores diferentes, delineadores coloridos, sombras. Mas, ao mesmo tempo, maquiagem, hoje em dia, não é fcar mascarada e parecer outra pessoa. Elas sabem que uma pele moderna é uma pele natural. Hoje, quase não existe maquiagem para o dia e para a noite.

Você fala em pele natural, mas onde entra, então, a mania do contorno nesse contexto?

No meio de tanta informação, temos que saber separar o joio do trigo, que é o que é bom aprendizado ou não. Vemos muita coisa na internet que extrapola. Saber fazer contorno virou exibicionismo. A maquiadora blogueira tem mesmo um talento e quer mostrar. Tranformaram algo simples em algo complexo. O contorno não surgiu com a Kim Kardashian, é muito mais antigo. No cinema dos anos 30 já se usava. Colocar 50 mil corretivos de cores diferentes no rosto não é fazer uma pele contemporânea. O que vemos são mulheres jovens sobrecarregando a pele delas.

 

Leia mais notícias na Revista do Correio

 

Essa base menos carregada é possível até para quem tem a pele mais comprometida?

O que vai dar o efeito de pele boa não é a quantidade de produto, então, mesmo quem tem a pele mais castigada não precisa rebocar o rosto. Tem que procurar a cobertura correta, delicada, mas eficiente.

Qual o maior erro em maquiagem?

O pior, acho que é não se maquiar. Mas outra coisa ruim é se preocupar demais em esconder o que não é tão bonito em vez de procurar valorizar o que é bonito no seu rosto. O foco do nosso olhar é o que é bonito, não o que é feio. Nós temos que simplificar. Uma pele carregada faz tudo que colocar em cima ficar cafona. O excesso de pó também é muito ruim. Antes, as bases tinham óleo, então, precisava de pó, hoje, não. Então, no máximo, você passa um pó translúcido ou high definiton na zona T.

Qual a maior tendência atual?

A tendência é o frescor: usar o mínimo de produto. Tudo começa com a pele. Nenhuma mulher quer que digam pra ela: “Nossa, que maquiagem bonita”. Ela quer que digam que ela está bonita e, aos poucos, veja os detalhes da maquiagem.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade