Publicidade

Correio Braziliense BICHOS

Cães da raça Pastor Alemão conquistam cada vez mais pessoas

Excelentes na guarda, os cães da raça protegem com uma lealdade dificilmente vista em outras raças, mas é sobretudo pela companhia amiga e vigilante que conquistam tutores


postado em 26/11/2017 07:00 / atualizado em 23/11/2017 16:32

É difícil não se apaixonar por quem demonstra inteligência, lealdade, tem uma curiosidade inspiradora e, ainda, uma beleza marcante. Talvez isso explique por que o pastor alemão faz tanto sucesso entre tutores e até na telona dos cinemas. Eles são ainda o motivo da união de grandes grupos de pessoas fascinadas pela raça.
 
Basta uma pesquisa rápida nas redes sociais para encontrar várias comunidades trocando experiências, informações e aumentando a paixão compartilhada por eles. Mas o que motiva todo esse amor? Para o médico veterinário Bruno Alvarenga, duas características que dificilmente caminham juntas em uma raça fazem toda a diferença por estarem presentes neles. “O pastor é um ótimo cão de guarda para a família, mas costuma ser muito carinhoso, até com crianças”, detalha.

Esse carinho nunca faltou para Guilherme Mesquita, 20 anos, que tinha com Pandora uma companhia especial. A pastor alemão não deixava ninguém se aproximar pelas costas do tutor e estava sempre atenta nos passeios, mas não perdia o jeito brincalhão. “Ela ficava comigo, em casa ou na rua, sempre ao meu lado. Na hora de passear, nunca precisou de coleira, guia ou coisas do tipo. Mas era um ciúme só! Não gostava de ver outros cães perto de mim.”

Essa relação levou Guilherme a criar um grupo no Facebook para apaixonados pela raça, que recebe, diariamente, várias publicações sobre os pastores. Hoje, o jovem acompanha com saudades as postagens da rede, pois perdeu Pandora há pouco mais de um ano, mas não se esquece de uma das melhores companhias que já teve.

“Grande matilha”

(foto: Arquivo Pessoal)
(foto: Arquivo Pessoal)
É muito comum que alguns tutores considerem os pets membros da família, mas a amizade de Olaf, Mel e Lobo, três pastores alemães, com o tutor Fernando Aquino, 46, se tornou ainda mais próxima. Na hora das brincadeiras no quintal, os netos do policial se juntam ao avô e aos cães em aventuras em que não existem diferenças: “Os cachorros brincam bastante e meus netos fazem deles o que querem. Na verdade, nós somos uma grande matilha, onde eles me escolheram como líder!”, sorri.

Os netos, Pedro, 8, Isabela, 6, e Alice, 4, se divertem com os pastores, que conseguem aliar proteção e carinho: “Se algum estranho se aproxima dos meus netos, os cachorros se armam e começam a rosnar, avisando que não devem se aproximar mais. Se eu agarro o meu neto no colo e ele começa a gritar, o Olaf entra em parafuso, porque quer proteger o Pedro, mas não pode me atacar. Daí, ele começa a me mordiscar e a se jogar em cima de mim, o que acaba virando outra brincadeira”, conta.

Além de toda alegria da casa provocada pelos pets, Olaf, Mel e Lobo trouxeram resultados antes inimagináveis para a rotina do policial legislativo. O tutor dos pastores conta que seu trabalho já chegou a tomar 16 horas do seu dia, prejudicando sua saúde. Mas, depois da companhia dos cachorros, muita coisa mudou: “Hoje, não aceito chefiar minha casa, meus netos é que mandam. Então, minha saúde melhorou 100%. No pique do meu trabalho, meu triglicérides chegaram a incríveis 940 mg/dL. Hoje, minhas taxas estão todas saudáveis”, compara.

Na tela e nas ruas 

(foto: Divulgação)
(foto: Divulgação)
Seja no cinema, como o famoso pastor alemão Rin-Tin-Tin, seja como os heróis de quatro patas que trabalham com policiais em ações reais, a raça conquista admiradores fiéis. Tanto para atuar na ficção como na realidade, os pastores são excelentes por conta da inteligência e obediência. São facilmente treinados para realizar aquilo que é solicitado. Para a polícia, o cão ainda oferece mais: o olfato aguçado da raça, que é utilizado principalmente para rastrear drogas e buscar corpos em escombros.

Do ponto de vista da medicina veterinária, o pastor também é uma ótima opção para quem deseja cuidar do pet como um amigo. Mas é preciso tomar alguns cuidados com a saúde do animal, que possui algumas patologias mais frequentes do que outras raças.

A médica veterinária Gláucia Pereira explica que a principal doença em pastor alemão é a displasia coxofemural, uma degeneração nas articulações, na coxa e no quadril, que é genética e hereditária. Quando o cão passa a caminhar e correr com dificuldade, precisa de uma avaliação veterinária.

A mielopatia degenerativa também atinge muito a raça, sendo uma doença que leva a degeneração progressiva da medula espinhal, que pode evoluir lentamente. Gláucia também chama a atenção para as doenças de pele comuns na raça, como piodermite e foliculite foliculosa. “São infecções profundas de pele que precisam ser tratadas com antibiótico”, esclarece.

Ações policiais

A primeira associação de criadores de pastor alemão — a Verein für Deutsche Schäferhunde — surgiu na última década do século 19 e chamou a atenção de criadores do mundo inteiro para a raça. Por sua coragem e inteligência, os cães eram usados no pastoreio e, depois, passaram a fazer sucesso, pela eficiência, em ações policiais de farejamento, buscas e salvamento.

Fonte: http://www.guiaderacas.com.br/pastoralemao.shtml

Cheios de atitude

Pastores alemães são reconhecidos pelo carinho com as crianças e habilidade como cães de guarda. Mas suas características valiosas não param por aí. Eles também se destacam por sua:
Inteligência
Lealdade
Obediência
Vigilância
Coragem
Curiosidade

Inteligência e amor

O pastor alemão está entre as cinco raças mais inteligentes de cães. Além dele, a lista traz:

Border collie
Dispostos de muita energia, os cães dessa raça são prestativos e gostam de sempre estar se exercitando, brincando e aprendendo coisas novas.

Poodle
Uma das raças mais fáceis de adestrar, o poodle se adapta muito bem a rotinas.

Golden retriever
Muito adotado como cão-guia, é uma ótima companhia e faz amizades como ninguém.

Doberman
Fácil de ser treinado, gosta de estar envolvido em tarefas com os tutores, aprendendo truques e brincando. Também tem a obediência como uma das principais características.
 

* Estagiário sob supervisão de Valéria de Velasco 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade