Publicidade

Correio Braziliense COMPORTAMENTO

Coach em criatividade surge para ajudar a colocar as ideias em ação

Inspiração, só, não basta para conquistar um diferencial e garantir sucesso em uma atividade. Profissionais especializados ajudam a organizar, dar foco e colocar projetos em prática


postado em 04/02/2018 07:00 / atualizado em 01/02/2018 15:44

Em tempos de crise econômica, desemprego e disputa acirrada por oportunidades de trabalho ou novos negócios, a tendência é investir cada vez mais em ideias criativas. E também não falta quem, mesmo já empregado ou envolvido com alguma atividade econômica, decida dar uma reviravolta na vida e mudar os rumos.

Mas usar a criatividade também significa ter de planejar metas e objetivos de forma inspiradora e inteligente, o que não é tão simples como parece — exige foco, disciplina, força de vontade e estratégia. Com isso, surge no mercado um novo profissional: o coach em criatividade.

Esse personagem entra em cena como facilitador e estrategista capaz de desenvolver planejamentos certeiros para o perfil de cada pessoa. Assim ficou mais fácil tirar aqueles planos tão sonhados do universo imaginário e colocá-los em prática. Com orientação e direcionamento, negócios inovadores surgem na capital federal. E os antigos, como o ateliê de alta costura infantil de Gi Morais, ganham impulso e modernidade.
Gi não abre mão da ajuda profissional de um coach:
Gi não abre mão da ajuda profissional de um coach: "Se deixar, as ideias não param e se perdem no espaço" (foto: Arquivo pessoal)
Vestindo crianças há mais de 20 anos, Gi não abre mão dos serviços de um coach. A contratação de um profissional, para ela, é essencial e faz toda a diferença, pois ajuda a colocar em prática muitas ideias soltas que, sem direcionamento, acabam se perdendo. “Se deixar, as ideias não param e se perdem no espaço”, diz a empreendedora.

“Trabalhar para crianças é não ter limite para a criatividade, é se encantar em cada peça produzida, é um mundo mágico que realmente só sabe quem trabalha com isso, com muito amor e dedicação”, derrete-se Gi. “A mãe chega cheia de sonhos, descreve o que imagina e, por meio de uma conversa, vou captando o que ela tanto quer.”

Estratégia importante

De acordo com a advogada, atriz e coach Marta Simone, o caminho mais curto para “organizar as ideias” e tornar as metas atingíveis é fazer um planejamento, de preferência em janeiro, com a ajuda de um coach. “Traçar estratégias para os 12 meses do ano é muito eficaz”, diz ela, que, além do coaching com 10 sessões, em média, realiza workshops de um dia. “Eles também ajudam a desenvolver planos criativos e atuam no processo de mudança de atitude e tomada de decisões, necessários para a potencialização da criatividade.”

“O coaching criativo ajuda no sentido de possibilitar que as pessoas se engajem em atividades que sejam capazes de gerar soluções tanto individuais quanto coletivas para problemas importantes que acontecem ao nosso redor”, ressalta Jane Chagas. Professora de psicologia da criatividade, na graduação, e de processos criativos, na pós-graduação da Universidade de Brasília (UnB), ela explica que a criatividade tem sido pensada, enquanto estratégia importante para inovação tecnológica, no mundo todo. 
Para Simone, primeiro passo é a motivação:
Para Simone, primeiro passo é a motivação: "Trabalho do coach é facilitar o processo de mudança em indivíduos e organizações" (foto: Arquivo pessoal)

Motivação, o começo de tudo

Quando a questão é mudar, a motivação é o primeiro passo, acredita Marta Simone, que decidiu trocar a área jurídica pela formação em Personal & Professional Coaching pela Sociedade Brasileira de Coaching (SBC) e hoje trabalha com coaching criativo. “O trabalho de coach em criatividade é basicamente ajudar, facilitar o processo de mudança em indivíduos e organizações.”

Sandra deixou a sala de aula para investir em uma hamburgueria artesanal:
Sandra deixou a sala de aula para investir em uma hamburgueria artesanal: "Espaço para poetas e artistas" (foto: Arquivo pessoal)
Conseguir alcançar um objetivo almejado, no entanto, é ter que sair de um estágio X para outro, e isso, de acordo com a coach, significa se movimentar, assumir riscos. “Implica sair da zona de conforto, portanto, mudar.” Comerciantes que percebem esse processo buscam novidades para conquistar clientela. Com isso, surgem novos empreendimentos e estabelecimentos diferenciados.

É o caso da empresária Sandra Vernes, 43 anos, que largou a sala de aula para apostar na criatividade e se tornou sócia da Brasília Cult Hamburgueria Arte e Bar, com o idealizador do espaço, o chef Antônio Fernandes, e mais dois amigos. A hamburgueria artesanal, na 115 Norte, virou referência, com um espaço planejado para artistas e poetas da capital federal exporem suas obras.

O estilo, a decoração e cada detalhe do estabelecimento são inspirados em estratégias criativas, como ilustrações do artista gráfico holandês Maurits Cornelis Escher, conhecido por suas xilogravuras e litografias. Paraense, Sandra explica que a hamburgueria usa ingredientes 100% naturais — do pão aos molhos especiais — e já trabalha, com os sócios, no projeto de expansão e franquia. “Para todo o Brasil e o mundo”, sonha.

Coragem e fé

O engenheiro florestal e coach Monclair Cammarota, de 40 anos, colocou em prática a frase “sem coragem e sem fé, a criatividade não existe”, do filósofo alemão Erich Fromm. Sem medo de arriscar, ele diz que sua vida moldou seu espírito criativo. “Aos 20 anos, fui voluntário num kibutz (comunidade de trabalho agrícola) em Israel, morei no Egito com os beduínos (povos árabes que vivem no deserto), trabalhei na Inglaterra, mas acabei me tornando mergulhador profissional na Tailândia”, conta.

De volta ao Brasil, e já formado pela Integrated Coaching Institute (ICI), Academia Emocional e Escola Brasileira de Coaching, ele se dedicou a corridas de aventura. Ininterruptas, elas incluem ciclismo, canoagem, corrida, escalada e navegação com mapa e bússola. “Eu me sentia herói da minha própria história. Conhecidos, empresários, achavam que eu era o cara mais feliz do mundo.”
Cammarota transforma sua experiência de vida em ferramenta de trabalho:
Cammarota transforma sua experiência de vida em ferramenta de trabalho: "Achavam que eu era o cara mais feliz do mundo" (foto: Arquivo pessoal)

Sem limites

Cammarota enxergou, então, uma ponte para ligar o lúdico e o esportivo ao universo dos negócios. “Essa atividade esportiva poderia se transformar em vivências para executivos e empresários trabalharem situações de estresse, pressão, tomada de decisões, trabalho em equipe, autoconfiança e comunicação afetiva”, revela. A partir daí, criou a Ekoá, empresa que trabalha com coach empresarial, jogos e gamificação.

Para Cammarota, não há limites para a criatividade, e o importante é deixar a inspiração fluir, utilizar as ferramentas certas e ter foco. “Tive uma couchee (cliente) médica com vários problemas profissionais para resolver ao longo de três anos. Produzi um jogo de tabuleiro para ela medir seu progresso e aferir o quão bem estava indo e se estava na direção certa de seu objetivo.” O jogo, segundo ele, deu certo, e a ajudou a resolver tudo com mais facilidade. 

Pontos principais

O coach tem a missão de desenvolver com o cliente os seguintes aspectos:

Motivação
Motor de sustentação: persistência criativa, força para mudar.

Foco
Planejar: estratégia para aflorar a criatividade.

Intuição
Feeling: dar voz ao inconsciente e à sabedoria interna.

Pensamento divergente
Capacidade de oferecer várias soluções para uma mesma questão.

Autoconfiança
Segurança: capacidade de enfrentar riscos e desafios.

Atitude
Ação: colocar os planos em movimento no momento adequado.

Criatividade
Criar: usar inteligência e dons artísticos inatos. Ter inspiração para uma atividade.

Fonte: Marta Simone, advogada e coach

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade