Publicidade

Correio Braziliense SAÚDE

Método Busquet oferece tratamento personalizado contra dores e tensões

Baseado na avaliação das cadeias fisiológicas do organismo, Busquet libera pontos de tensão e ajuda todo tipo de paciente, de recém-nascidos a idosos e atletas


postado em 18/02/2018 07:00 / atualizado em 15/02/2018 14:45

Livrar-se de tensões pode ainda ser um sonho para a maioria das pessoas, mas, com a evolução da compreensão sobre o corpo humano, isso está cada vez mais perto da realidade. Um dos mais novos exemplos é o método Busquet, um tipo de tratamento fisioterapêutico que começa a ganhar espaço nas clínicas, com a promessa de liberar ao máximo as zonas de tensão.
 
O nome é inspirado no professor de cinesiologia Léopold Busquet, que desenvolveu a atividade ao longo de 50 anos de estudo e trabalho na área. O francês aliou conhecimentos em anatomia, fisiologia, física, química e biomecânica para chegar ao método final, hoje cada vez mais difundido pelos cursos aplicados no Brasil.

O método já foi utilizado pelo atleta da NBA Manu Ginóbili, quatro vezes campeão pela maior liga de basquete do mundo e referência no esporte. O argentino, que completou 40 anos em julho do ano passado, recorreu à terapia para continuar jogando em alto nível, apesar da
idade, e conseguiu prevenir lesões.
(foto: Reprodução)
(foto: Reprodução)
Fisioterapeuta especialista no tratamento, Loiane Menezes Silva detalha a aplicação do método, que vem fazendo sucesso entre os pacientes. “Usamos técnicas que são essencialmente baseadas em posturas de relaxamento e liberações teciduais, com sessões semanais de duração entre 45 minutos a uma hora, de acordo com o caso de cada paciente”, conta.
 
Uma das diferenças do Busquet para outros trabalhos fisioterapêuticos é o tratamento de cadeias globais, que aliam conhecimentos do estado visceral do corpo com o músculo esquelético, como explica Loiane. “As cadeias são circuitos anatômicos conectados da cabeça aos pés, que organizam a estática, a dinâmica e as compensações vindas delas, aumentando a relação entre nossa fisiologia musculoesquelética e a visceral.”
 
O método Busquet é indicado para um grande grupo de pessoas, por diferentes motivos:
  • Em recém-nascidos trata as tensões geradas no parto (deformações como: torcicolo congênito; regurgitações, estrabismo, sono, choro entre outas);
  • Em crianças, pode ser aplicado naquelas com deformações - no quadril, joelhos, tornozelos e pés - dores do crescimento, escolioses, má-oclusão, entre outras;
  • Em atletas para melhorar a performance e prevenir as lesões;
  • Nos idosos, previne ou atenua as disfunções físicas, orgânicas e as consequências das artroses. 

 

Palavra do especialista

Emanuelle Bezerra de Oliveira é fisioterapeuta com formação no método Busquet e pilates 

1. Quais as principais finalidades do método Busquet?
O método Busquet utiliza técnicas de terapia manual aliada a exercícios posturais, que visa a liberação e o relaxamento das cadeias musculares. A finalidade do método, portanto, é corrigir as cadeias e liberar o movimento. Acredita-se que vários fatores podem bloquear uma cadeia, incluindo quedas, traumas (pancadas) e até mesmo o mal funcionamento de um órgão. Por exemplo, um indivíduo com problemas gástricos pode apresentar um bloqueio na cadeia cruzada anterior do tronco e isso afeta a qualidade de movimento da coluna e dos membros (braços e pernas).

2. Quais as principais diferenças desse tratamento para opções como RPG ou Pilates?
O RPG  trabalha com exercícios posturais que alongam e relaxam as cadeias musculares, porém, as cadeias retas (flexão e extensão). O Busquet alia terapia manual aos exercícios posturais, mas trabalha as cadeias retas e cruzadas (flexão, extensão e rotação). Já o Pilates conta com exercícios de fortalecimento e alongamento muscular.
 
3. Para quem não possui conhecimento em fisioterapia, como podem ser explicadas as cadeias fisiológicas de uma maneira mais didática?
Para que o movimento ocorra de maneira harmônica diversos músculos interagem entre si, formando as cadeias musculares. Imagine que cada cadeia é uma corda elástica. Agora imagine esse elástico cheio de nós. Ele continuará tendo elasticidade, porém, ela estará diminuída. A mesma coisa acontece no nosso corpo, quando a cadeia apresenta pontos de tensão - “nós” - a liberdade de movimento fica diminuída e o corpo gera compensações para poder realizar sua função. Essas compensações a longo prazo geram dores musculares, artroses, bicos de papagaio (osteófitos), hérnias de discos entre outros. Durante a sessão de Busquet, identificamos os "nós" do corpo, utilizamos técnicas de terapia manual para liberar esses pontos e aliamos exercícios de alongamento e relaxamentos dos músculos envolvidos naquela cadeia específica. 
 
 
 
* Estagiário sob supervisão de Valéria de Velasco, especial para o Correio

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade