Publicidade

Correio Braziliense CASA

Ambientes simples e aconchegantes dão ar de naturalidade em casa

Apostar em elementos como plantas, fibras naturais e tecidos crus ajuda a dar leveza e naturalidade aos ambientes e abre espaço para investir em acessórios coloridos e alegres


postado em 18/03/2018 07:00 / atualizado em 16/03/2018 17:49

A casa deve ser um lugar de aconchego e leveza. Local para descansar, festejar, confraternizar, reunir familiares — e o importante, para tudo isso, é não perder a naturalidade e o equilíbrio na decoração. A arquiteta Larissa Dias assegura que em qualquer ambiente se pode criar uma atmosfera natural. “É simples. Basta usar elementos que proporcionam aconchego, pois a realidade é que cria sensação de bem-estar que encanta e traz esse conforto e harmonia no visual.”
O quarto da arquiteta Renata Dutra tem uma linguagem leve e clássica. A cama foi colocada em um nicho estofado em módulos de camurça, com frente revestida em espelho. Próximo às janelas, um tablado em madeira de demolição abriga um futon e uma parede verde. Ao fundo, a cortina rústica à base de algodão dá o toque natural ao local.(foto: Haruo Mikami/Divulgação)
O quarto da arquiteta Renata Dutra tem uma linguagem leve e clássica. A cama foi colocada em um nicho estofado em módulos de camurça, com frente revestida em espelho. Próximo às janelas, um tablado em madeira de demolição abriga um futon e uma parede verde. Ao fundo, a cortina rústica à base de algodão dá o toque natural ao local. (foto: Haruo Mikami/Divulgação)

A estilista Lenny Niemeyer gosta de levar luz externa para dentro do ambiente, eleger muitas plantas dentro de casa, usar fibras naturais, brim, algodão, tapetes de sisal — palha genérica —, para compor naturalidade. “O importante é escolher tons crus, que neutralizam e dão simplicidade ao ambiente. Assim, permite-se a utilização maior de acessórios coloridos e alegres para compor os cômodos.”

Existem opções para deixar os ambientes leves e confortáveis sem gastar muito. A arquiteta Gabriela de Rossi opta por preencher o sofá e a cama com almofadas de tecido à base de algodão. Elas podem ser de diversas cores. Além do preço acessível, são encontradas facilmente nos comércios. “Cortinas de linho natural também são uma possibilidade, pois são belas e têm uma durabilidade surpreendente.”
Privacidade, conforto e aconchego descrevem o ambiente criado pela arquiteta Gabriela De Rossi. Mix de texturas e estampas sutis levam a ideia a um patamar incomum e personalizado, com tons de cinza e bege em evidência. Com área de relaxamento, o ambiente tem cabeceira em suede cinza, poltrona em couro e papel de parede mesclado com linho.(foto: Clausem Bonifacio/Divulgação)
Privacidade, conforto e aconchego descrevem o ambiente criado pela arquiteta Gabriela De Rossi. Mix de texturas e estampas sutis levam a ideia a um patamar incomum e personalizado, com tons de cinza e bege em evidência. Com área de relaxamento, o ambiente tem cabeceira em suede cinza, poltrona em couro e papel de parede mesclado com linho. (foto: Clausem Bonifacio/Divulgação)

Pequenos ou grandes, os ambientes podem passar uma sensação natural. O fundamental é ter bom senso e não exceder. “Se o cômodo é pequeno, a decoração não pode ser carregada, deve ser mais leve. Já o grande permite ousadia, escolher uma parede ou elemento maior para a composição. As salas, as varandas e os lavabos são os locais mais indicados, porque dá para compor com mais texturas e reentrâncias”, orienta Larissa.

Como usar

  • É imprescindível ter cuidado e não exagerar ao levar textura natural para dentro de casa.
  • Escolha um elemento; os demais que compõem o ambiente devem ser neutros. Exemplo: coloque uma pedra bruta, uma madeira de demolição, uma textura e use os contrastes para se ter o destaque.
  • As texturas naturais devem ser reais, como o linho, que dá sensação da natureza, porque é palpável.
  • Use uma pedra bruta, que realmente parece que é original daquela forma, cores e texturas como o cimento queimado, em vez de madeira de laca brilhosa.
  • Madeira maciça ou madeira de demolição são opções naturais e reais.
  • O cimento queimado é um elemento barato, prático e bonito. Você pode aplicar o micro ou pode ser feito com o cimento de obra.
  • O tijolo refratário, o mesmo do interior de churrasqueira, é uma pedra portuguesa. Ela tem um formato orgânico e irregular. Além do baixo custo, remete ao natural.
Fonte: Larissa Dias, arquiteta
A arquiteta Larissa Dias desenvolveu o projeto desse living com elementos naturais. A cortina na cor clara é um dos recursos utilizados para quebrar a rusticidade da madeira de demolição e do ferro, presentes na parede lateral. O grande sofá da sala, o tapete felpudo e os móveis em madeira deram um ar aconchegante e contemporâneo ao ambiente. (foto: Clausem Bonifacio/Divulgação)
A arquiteta Larissa Dias desenvolveu o projeto desse living com elementos naturais. A cortina na cor clara é um dos recursos utilizados para quebrar a rusticidade da madeira de demolição e do ferro, presentes na parede lateral. O grande sofá da sala, o tapete felpudo e os móveis em madeira deram um ar aconchegante e contemporâneo ao ambiente. (foto: Clausem Bonifacio/Divulgação)

*Estagiária sob supervisão de Valéria de Velasco, especial para o Correio 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade