Publicidade

Correio Braziliense BICHOS

Chocolates podem causar graves problemas e até ser fatal para os pets

Se o seu animal de estimação fizer aquele cerco com ar de pedinte, não ceda! Delícia para nós, o doce que mais vai circula neste domingo pode trazer graves problemas e até ser fatal para eles


postado em 01/04/2018 07:00 / atualizado em 29/03/2018 18:47

Páscoa é uma época de abusar do chocolate. Os amantes do doce anseiam por esse momento. É aquela troca deliciosa de ovos de chocolates com as pessoas mais queridas. Quem tem bichos sabe que, com o olhar, eles desejam tudo o que estamos comemos e é difícil resistir àquela carinha de pedinte. Mas, nesse momento, é preciso se lembrar de um alerta muito importante: jamais dê chocolate a eles. A delícia provoca problemas e pode até, dependendo da quantidade ingerida, levar o animal à morte.

O perigo acontece porque o chocolate contém uma substância chamada teobromina, que é facilmente excretada pelos humanos, mas, para os bichos, traz dificuldades. A médica veterinária Flávia Rossi, da Mars Petcare, explica que o problema é a metabolização mais lenta da teobromina — uma substância prima da cafeína — no organismo dos cães e dos gatos.

Os efeitos no organismo, segundo Flávia, são a estimulação do sistema nervoso central e do coração. A substância é rapidamente absorvida após a ingestão e logo começa a estimular o cérebro e o coração. O processo pode desencadear diarreia, aumento de micção, arritmia cardíaca, convulsão e, em difíceis casos, a morte do animal.

“Apesar de casos letais serem raros, existe uma alta incidência de indisposições gastrointestinais, especialmente em animais pequenos e jovens, devido à quantidade de toxina em relação ao peso do pet”, revela Flávia. Segundo a médica veterinária, quanto maior o teor de cacau, maior a chance de morte do animal. “Esse componente não fica acumulado no nosso organismo. Nos cães, a dose considerada tóxica é em torno de 100mg a 150mg por quilo. Já a dose letal está em torno de 250mg a 500mg por quilo.

Nesta época da Páscoa, nos momentos de confraternização, algum pedacinho dos ovos de Páscoa podem cair no chão e os animais ingerirem. Nesse caso, de acordo com Flávia, o tutor precisa levar imediatamente o bicho ao veterinário de confiança. “Gatos também podem ter problemas ao ingerir chocolate, mas eles não costumam se entusiasmar muito pelo doce”, diz a veterinária.

Não existe, segundo Flávia, um antídoto para a intoxicação com teobromina. O tratamento deve ser realizado de acordo com o sintoma apresentado pelo bicho. “Se a ingestão for recente, de até três horas, a indução ao vômito pode ser instituída, seguida de lavagem gástrica e hidratação. Porém, sempre realizada por um médico veterinário”, orienta.

Sabe-se que animais de outras espécies, como hamsters e coelhos, fazem travessuras quando veem comida. Doces, em hipótese alguma, também não são recomendados para eles. Segundo a médica veterinária Karine Raile, da Cobasi, o sistema digestivo dos bichos é diferente do nosso. “O intestino deles é mais curto e isso faz alguns nutrientes não serem metabolizados rapidamente, acumulando no corpo”, explica.

Indicação

Os animais também não têm muitas enzimas para processar substâncias como gorduras e glicoses. A ingestão de doces pode causar diabetes, alterações no sangue e no sistema circulatório, problemas nos dentes e gengivas, pancreatite, danos no sistema nervoso e no sistema digestivo, além de obesidade. Karine ainda alerta: “Doces e derivados de café também são tóxicos para os bichos. Eles devem ser alimentados com rações e petiscos indicados para cada espécie”.

Tyler, 3 anos, é o golden retriever da servidora pública Juliana dos Santos Vieira, 24. Desde a infância, ela sempre foi apaixonada pela raça. No aniversário de cinco anos de namoro, o namorado a surpreendeu com o presente. “O melhor que já recebi”, relembra, emocionada.

Juliana é só cuidados com Tyler, que tem até conta no Instagram: chocolates estão fora, em qualquer dia do ano (foto: Arquivo pessoal/Reprodução Instagram)
Juliana é só cuidados com Tyler, que tem até conta no Instagram: chocolates estão fora, em qualquer dia do ano (foto: Arquivo pessoal/Reprodução Instagram)
Preocupada com o bem-estar do cão, Juliana mantém todas as vacinas em dia e, a qualquer suspeita de problema de saúde, o leva ao veterinário. Tyler já teve problema de irritação na pele, o que é muito comum na raça. “Mas não foi nada grave, era uma alergia que foi tratada com pomada”, recorda.

Sempre que deseja presentear o “amigão” com algo especial, Juliana tem o cuidado de pesquisar e conferir com o veterinário se é indicado. O golden adora legumes. “Aliás, Tyler ama brócolis e cenoura!” O chocolate está vetado para ele. Mesmo os específicos para cachorros, vendidos em pet shops. “Não sei se realmente é seguro. Prefiro continuar com as verduras de que ele gosta.”

Para a médica veterinária Karine Raile, há várias opções de chocolate com substâncias indicadas para o consumo canino. “É aconselhável oferecer como um petisco, sem exagero na quantidade, mas só dar os preparados especialmente para eles, já elaborados com substâncias nas quantidades adequadas”, recomenda. “A quantidade ideal depende do peso do cachorro. As embalagens costumam ter a indicação.”

Bazar

Entre brinquedos temáticos e chocolates para bichos, separamos algumas opções para o seu animalzinho passar o momento de confraternização com a família. Confira:
(foto: Divulgação )
(foto: Divulgação )
 
Siga
 
Os bichos são como filhos para os tutores. Juliana criou um perfil no Instagram para compartilhar os melhores momentos de Tyler. “Ele ajuda muito. É fotogênico, ‘sorri’ para as fotos e tudo”, garante Juliana.
Instagram: @tylergoldenlicia


*Estagiário sob supervisão de Valéria de Velasco, especial para o Correio


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade