Publicidade

Correio Braziliense FITNESS & NUTRIÇÃO

Exercícios físicos são ofertados gratuitamente nas áreas de Brasília

Aulas coletivas ao ar livre em diversas regiões de Brasília recebem toda a comunidade


postado em 22/04/2018 07:00 / atualizado em 25/04/2018 14:43

Praticar exercícios em Brasília nunca foi tão fácil. Grupos, profissionais de educação física, instrutores de ioga e de tai chi chuan tornam a atividade física acessível a todos — desde que ministrada por pessoas capacitadas, claro. Há diversas opções pela cidade, ao ar livre, e, muitas vezes, gratuitas.

Aos domingos no parque há treinos gratuitos(foto: Carolina Militao/Esp. CB/D.A Press)
Aos domingos no parque há treinos gratuitos (foto: Carolina Militao/Esp. CB/D.A Press)
No Estacionamento 13 do Parque da Cidade Sarah Kubitschek, atrás da sede da Administração e ao lado do Nicolândia, o grupo Moving Our Bodies (MOB Fit) promove aulas todos os domingos, às 10h. A iniciativa é dos amigos Allan Lucena e Lucas Kubitschek, apaixonados por educação física.

Especialista em musculação, corrida, funcional e calistenia de solo, Allan explica que o projeto, que existe há três anos, tem como objetivo conscientizar a comunidade da necessidade de praticar atividade física, promover a qualidade de vida, a diversão e a interação social entre os participantes. “O MOB não faz distinção de público, o importante é se propor a sair do sedentarismo”, afirma Allan. “Renovamos a cada domingo o voto de continuar a se cuidar e plantamos a semente da contribuição social uma vez ao mês, com um grande evento que envolve outros grupos e pessoas”, completa.

A assessora legislativa Nathália Alvarenga, 29 anos, frequenta as aulas do MOB há um ano. Ela faz musculação, corrida e jiu-jítsu. “O que mais me chama a atenção é o cunho social do projeto, porque, além de você fazer funcional e melhorar sua performance física, consegue ajudar pessoas. Os eventos de arrecadação são dinâmicos, alegres e sempre têm estandes de proteína e de massagem”, relata.

Nas aulas normais, o grupo recebe, no máximo, 40 alunos. Os interessados podem chegar a qualquer momento. “O número restrito é para vigiar, fazer as devidas correções e obter um treinamento de qualidade, observando sempre a diferença de perfis, idades e condicionamentos físicos. Nos eventos de arrecadação social, passamos de 100 pessoas, mas, nesses encontros, contamos com a ajuda de grupos parceiros”, finaliza Allan. Para fazer parte, é necessário acessar o perfil @mob.fit no Instagram, preencher o questionário que está na biografia e mandar um WhatsApp solicitando a entrada no grupo.

Determinação

Aulas de crossFit, hiit e funcional movimentam o Parque da Cidade durante toda a semana(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
Aulas de crossFit, hiit e funcional movimentam o Parque da Cidade durante toda a semana (foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
Também no Estacionamento 13 do Parque da Cidade, o projeto RPM BSB coloca os frequentadores para praticar atividades físicas em aulas de diferentes modalidades: hiit, funcional e crossFit. Os treinos ocorrem de segunda a sexta, às 17h, às 18h e às 19h. Aos sábados, as atividades têm início às 8h. O projeto, também conhecido como conexão Brasília ou TrainingTruck, começou no Rio de Janeiro, em 2010. Em Brasília, chegou apenas sete anos mais tarde, em julho do ano passado.

O bacharel em educação física, especialista em crossFit e professor do trainingTruck Rafael Santiago Souza conta que o objetivo é promover atividade física gratuita à comunidade. Por isso, dispõe de equipamentos de qualidade, profissionais qualificados e aulas de, no máximo, 24 pessoas por treino.

Graças aos exercícios, Fábio Lucena recuperou os movimentos após cirurgia no joelho (foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
Graças aos exercícios, Fábio Lucena recuperou os movimentos após cirurgia no joelho (foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
O técnico em telecomunicações Fábio Lucena, 27, é adepto do futebol e da corrida. Há nove meses, participa da atividade física. Em 2014, passou por uma cirurgia para corrigir uma lesão no ligamento do joelho. Depois desse procedimento, teve dificuldade em executar alguns movimentos. “Treinando cinco vezes por semana, sinto meu joelho mais fortalecido e já consigo realizar alguns movimentos que eram impossíveis meses atrás, como o agachamento.”

Qualquer pessoa pode participar das aulas após realizar o cadastro. É necessário baixar o aplicativo “Mude” no smartphone, fazer o passo a passo e reservar a aula, com dia e hora marcada. Há a possibilidade também de se inscrever no site riopraiamaravilhosa.com.br.

A publicitária Manuella Passos Cúgola Melão, 34, treina quatro vezes na semana com o grupo. Ela gosta de se exercitar e sempre frequentou academia, mas, com o nascimento da filha, de 3 meses, mudou o foco das atividades para o emagrecimento. “Sou apaixonada pelas aulas. Cada dia um treino, um desafio, novos estímulos. Sem falar que é dinâmico, divertido e ao ar livre. Minha disposição, a qualidade de sono e meu condicionamento físico melhoraram bastante após minha chegada no trainingTruck”.
Manuella Passos treina quatro vezes por semana: cada dia um desafio novo(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
Manuella Passos treina quatro vezes por semana: cada dia um desafio novo (foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
 

Corpo, mente e alma

Desde outubro de 1974, a Praça da Harmonia Universal, localizada na Entrequadra 104/105, da Asa Norte, abriga todos os dias, pela manhã, entre às 7h30 e às 8h30, as aulas de tai chi chuan, abertas à comunidade. Não importa sexo ou idade: todos que querem viver em harmonia são bem-vindos.

O mestre e médico tradicional chinês Moo-Shong Woo diz que essa prática trabalha a harmonia interna, cultiva a energia solar e a meditação. Além de ser um instrumento de empoderamento do indivíduo e de sua coletividade. “O tai chi chuan promove saúde física, emocional, psicológica, social, ambiental, espiritual, controla o estresse e fortalece o sistema imunológico”, afirma.

Ana Luiza Varela, 54 anos, é praticante de tai chi chuan há dois anos e meio. Ela decidiu iniciar essa atividade física para escapar da tristeza, após o divórcio, e tentar encontrar paz e equilíbrio para a vida espiritual e física. Além do tai chi chuan, Ana pratica natação e remo. “Eu faço tai chi todos os dias, de domingo a domingo, bem cedinho. Sou uma outra pessoa, tenho uma nova postura com o meu próximo, com o ambiente, e encontrei a harmonia e a paz interior que estava procurando”, conta.

No Parque Olhos d’Água, no fim da Asa Norte, um projeto gratuito ocorre todos os domingos, às 17h, oferecendo o DeRose Method, aberto para todos os que querem uma atividade diferenciada, de alto rendimento, mas, ao mesmo tempo, divertida e desafiadora.

Segundo o instrutor e profissional da DeRose Method André Bouchardet, esse projeto é global, ocorre em diversas unidades da Federação e em outros países. “Há 15 anos, o Parque Olhos D’Água e, agora, a partir deste mês, a orla da Ponte JK recebem nossas aulas sem custo”, destaca. “O objetivo é fazer os participantes aperfeiçoarem a força, a flexibilidade, reeducarem a respiração e aumentarem o poder de concentração. Qualquer pessoa, entre 20 e 50 anos, pode se juntar a nós. Basta comparecer com compromisso, disposição e respeitar os próprios limites. As aulas são no gramado, portanto, sugerimos que leve algo para forrar o chão”, informa André.

Cuidados

  • O mais importante é não ficar parado, mova-se com consciência e com cuidado
  • Para quem tem condições financeiras, o ideal é fazer um acompanhamento especializado com um profissional de educação física
  • Realize exames periódicos para avaliar as condições gerais da saúde
  • Tire dúvidas durante a prática da atividade física. Isso é imprescindível para uma evolução gradual e segura
Fonte: Rafael Santiago Souza, bacharel em educação física e especialista em crossFit

* Estagiária sob supervisão de Mariana Niederauer

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade