Publicidade

Correio Braziliense

Fernanda Yamamoto explora cultura japonesa sustentável em desfile

No terceiro dia da SPFW, estilista se inspira na comunidade de Yuba, localizada nos arredores de São Paulo


postado em 24/04/2018 18:21 / atualizado em 24/04/2018 18:28

Fernanda Yamamoto mesclou o casting de modelos com habitantes da comunidade Yuba e artistas(foto: Agência Fotosite)
Fernanda Yamamoto mesclou o casting de modelos com habitantes da comunidade Yuba e artistas (foto: Agência Fotosite)
Aplaudida de pé nesta terça-feira (24/4), Fernanda Yamamoto desfilou o seu olhar sobre a comunidade Yuba, população autossustentável de ascendência japonesa localizada em Mirandópolis, a 600km de São Paulo.

Fundada na década de 1930 pelo japonês Isamu Yuba, a comunidade é de todos: lá, a circulação de dinheiro não existe e arte e trabalho possuem o mesmo valor. Os habitantes têm rotina diária definida pelo cultivo de alimentos durante o dia e a prática de atividades artísticas após o trabalho — teatro, balé, dança, cerâmica e bordado são algumas delas. 

"Fiquei bastante sensibilizada pela simbiose entre a lavoura e as artes, e como essas atividades podem se influenciar mutuamente: a delicadeza com o que se toca um instrumento pode também ser percebida no momento de tratar um alimento. Da mesma forma, a dureza e o peso de um trabalho braçal na roça são suavizados com a sutileza das artes", explica Fernanda.
 
Ver galeria . 7 Fotos Agência Fotosite
(foto: Agência Fotosite )

O ponto de partida da criação das peças parte de formas simples como o círculo, o quadrado e o triângulo, resultando em roupas tridimensionais com construção trabalhosa e sofisticada. Todas as cores dos tecidos foram obtidas por processos de tingimento natural, a partir de plantas da própria comunidade, como urucum, folha de caju e flor de cosmos.

A passarela é de todos

Seguindo o ritmo da nova identidade da moda, Fernanda Yamamoto mesclou o casting de modelos com habitantes da comunidade Yuba e artistas, como bailarinos músicos, que se identificam com a filosofia do local e que têm a arte presente no dia a dia. Mulheres de várias idades e biotipos atravessaram a passarela abrindo espaço, mais uma vez, para a democratização da moda.

A 45ª edição da SPFW vai até a próxima quinta-feira (26/4), no Pavilhão das Culturas Brasileiras, no Parque Ibirapuera. Acompanhe a cobertura da Revista do Correio pelo site e pelo perfil no Instagram @revistadocorreio
 
*Estagiária sob supervisão de Humberto Rezende

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade