Publicidade

Correio Braziliense FITNESS & NUTRIÇÃO

Saiba qual opção de termogênico usar para aumentar o desempenho no treino

Conheça os principais termogênicos usados por praticantes de exercício físico e entenda as diferenças entre a cafeína e a teacrina


postado em 29/04/2018 07:00 / atualizado em 27/04/2018 15:08

Acelerar o metabolismo para obter o maior rendimento possível da atividade física tornou-se prática comum entre os malhadores. A grande dúvida, porém, tem sido qual tipo de termogênico adotar. A cafeína é o mais conhecido e usado com esse fim, mas um novo tipo vem fazendo sucesso nas academias: a teacrina, que chegou com a promessa de não provocar efeitos colaterais.

O nutricionista e educador físico Fernando Luiz Mano de Castro adverte sobre a importância de respeitar a dosagem e as reações ao produto, principalmente a cafeína, que deve ser usada com moderação, sobretudo por cardiopatas, hipertensos e pessoas com transtornos de ansiedade. “Esse estimulante é consumido por quem deseja aumentar o estado de alerta e disposição, seja para o estudo, seja para a prática de atividades físicas”, resume.

Produção de energia

Como muitos não podem consumir termogênicos à base de cafeína, foi desenvolvida a teacrina, que também aumenta a produção de energia. A especialista em nutrição clínica, metabolismo e terapia nutricional Alana Carvalho Adelino explica que se trata de um suplemento nutricional e serve para reduzir a fadiga, melhorar a disposição, a motivação, o humor e a memória. Tudo isso, porque regula os níveis de neurotransmissores cerebrais — memória, pensamentos e impulsos elétricos.

Para a nutricionista funcional Michelle Mendes, há uma diferença fundamental entre as duas substâncias. A cafeína, segundo ela, pode levar à dependência, enquanto a teacrina, não. Ela também não causa efeitos colaterais, como aceleração do coração, fadiga, ansiedade ou irritabilidade, comuns na cafeína. “Ambos podem ser considerados termogênicos, porque liberam energia após o consumo, diminuem a fadiga, melhoram a performance física e mental e aumentam o metabolismo. Porém, a teacrina favorece o aumento da concentração, do humor, da disposição e potencializa a energia durante a prática de atividade física”, resume Michelle.

Na prática

A cafeína é considerada termogênica porque estudos a apontam como mais que um estimulante. Ela auxilia na eliminação de gordura e atua diretamente na célula adiposa (local de armazenamento de gordura). Alana acrescenta que a cafeína estimula o funcionamento cardiovascular e melhora o desempenho durante a prática do exercício de alta intensidade.

Há oito anos, Antônio Pimentel Jr. faz uso de cafeína associado a atividades físicas: malhação elevada a outro patamar (foto: Agencia Magestic/Divulgação)
Há oito anos, Antônio Pimentel Jr. faz uso de cafeína associado a atividades físicas: malhação elevada a outro patamar (foto: Agencia Magestic/Divulgação)
O empresário Antônio Pimentel Jr., 34 anos, considera a prática de exercícios físicos e o uso de termogênico, à base de cafeína, essenciais à sua rotina. Há mais de 20 anos faz pelo menos uma dessas atividades: musculação, futebol e pedal. Faça chuva ou faça sol, ele sempre reserva um tempo para executar uma das paixões.

“Uso a cafeína no pré-treino porque ela aumenta meu desempenho durante a prática dos esportes. Já percebi que, quando não consumo, sinto fadiga, não me concentro, fico indisposto e não consigo executar minhas atividades físicas com êxito. Por isso não vivo sem esse suplemento há oito anos. Minha evolução e força são nítidas após o uso do termogênico”, conta Antônio.

Cafeína

Mas é necessário se atentar ao consumo exagerado da cafeína. “Ela possui um potente efeito diurético, podendo prejudicar a hidratação durante atividades prolongadas. Bem como promover insônia, nervosismo, ansiedade, gastrite e palpitações. A dose máxima recomendada para o uso diário por atletas não deve ultrapassar 300 miligramas, o equivalente a oito a 10 cafezinhos ou cinco latas de energético”, ressalta Alana. A nutricionista garante, porém, que a teacrina não apresenta malefícios ao organismo. “A dosagem indicada é de 50mg a 200mg (depende do organismo) entre 30 minutos a uma hora antes do treino.”

Para o indivíduo unir saúde, estética e bom rendimento na atividade física, é necessário respeitar o organismo. “Esses termogênicos — teacrina e cafeína — prometem bons resultados, desde que cada pessoa preserve sua individualidade. A teacrina tende a ser melhor, mas procurar um profissional de nutrição para saber a possibilidade de uso e a dose adequada são dicas preciosas”, aconselha Fernando.

Entenda a diferença

Cafeína

É um elemento químico classificado como alcaloide (origem animal) que estimula o Sistema Nervoso Central (SNC) e o metabolismo. Pode ser encontrada em alguns tipos de frutos, sementes, folhas, alimentos e bebidas, como chá-preto, noz-de-cola, guaraná, chocolate e o nosso conhecido café.

Teacrina

É um elemento químico encontrado de forma abundante na fruta de cupuaçu, no café e, principalmente, na camellia assamica var. kucha, planta endêmica de Yunnan, província da China. Ele aumenta a dopamina (prazer), diminui a adenosina (arritmias cardíacas) e, assim, aumenta a energia, o humor e o desempenho.

Fonte: Silvia Alves, farmacêutica e bioquímica da Oficial Farma

Valor

  • Você pode consumir a teacrina por meio de ervas parecidas com a do chá-verde, frutas exóticas (principalmente o cupuaçu) ou em cápsulas.
  • Na forma de cápsulas, pode ser encontrada em farmácias e pela internet.
  • O valor dos potes de teacrina de 200mg com 60 cápsulas varia de R$ 98 a R$ 180.
  • O preço do pote da cafeína de 420mg com 60 cápsulas gira em torno de R$ 35.

Fonte: Alana Carvalho Adelino, especialista em nutrição clínica, metabolismo e terapia nutricional

Você sabia?

  • A ação da cafeína pode durar em média 1h30 a 2h.
  • A teacrina desempenha sua função de 4h a 6h.
  • É válido relembrar que as dosagens e as formas de uso devem sempre ser sob orientação de um nutricionista.
  • O uso da teacrina e da cafeína é proibido para gestantes, lactantes e crianças para não causar problemas de hiperatividade, náuseas e outros sintomas desconfortáveis.

Fonte: Michelle Mendes, nutricionista funcional e oncológica da Aliança Instituto de Oncologia.
 
* Estagiária sob supervisão de Sibele Negromonte 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade