Publicidade

Correio Braziliense CASA

Toque vintage na decoração se tornar grande aliado na decoração

Usar elementos antigos em um ambiente moderno ajuda a personalizar a decoração


postado em 20/05/2018 07:00 / atualizado em 18/05/2018 19:16

O ambiente escolhido no Pinterest por Paula Jaber mostra um ambiente no qual o retrô predomina. A vitrola, a luminária e o rádio, todos em uma estante de estética antiga, conversam com a luminária e com as pilhas de vinil. tudo isso em uma parede mais crua, que remete ao estilo industrial. (foto: Pinterest/Divulgação)
O ambiente escolhido no Pinterest por Paula Jaber mostra um ambiente no qual o retrô predomina. A vitrola, a luminária e o rádio, todos em uma estante de estética antiga, conversam com a luminária e com as pilhas de vinil. tudo isso em uma parede mais crua, que remete ao estilo industrial. (foto: Pinterest/Divulgação)
Objetos antigos que pertenceram aos pais, avós e outros parentes ou amigos queridos, além de terem um grande valor afetivo, podem se tornar grandes aliados na decoração. Cômodos simples, de tons minimalistas, ganham vida nova quando pincelados com toques vintage.

Quem não tem heranças de família pode se esbaldar nas peças retrô. Paula Jaber, head de visual merchandise e responsável por curadorias do site Westwing, explica a diferença entre o vintage e o retrô, que muitas pessoas confundem e podem acabar sendo prejudicadas na hora da compra.

Segundo a especialista, o vintage é o objeto antigo de verdade. Pode ter uma história familiar e uma significação afetiva ou pode ser adquirido em lojas e feiras de antiguidade. “Quando possuem o valor sentimental agregado, esses itens se tornam ainda mais fortes no ambiente”, acrescenta Paula. Já as peças retrô são objetos atuais, mas com estética antiga, ou seja, são réplicas.

No estúdio criado pela RAP Arquitetura, o relógio e o telefone antigo oferecem um charme especial à decoração moderna. A parede de tijolos traz o ar de rústico e conversa com os objetos retrôs. (foto: RAP Arquitetura/Divulgação)
No estúdio criado pela RAP Arquitetura, o relógio e o telefone antigo oferecem um charme especial à decoração moderna. A parede de tijolos traz o ar de rústico e conversa com os objetos retrôs. (foto: RAP Arquitetura/Divulgação)
Seja o objeto retrô, seja vintage, Paula ressalta que, para inseri-lo no ambiente, é necessário estar com a mente aberta e não ter medo de ousar. Itens de decoração com a estética antiga podem ser usados em todo tipo de ambiente: casas clássicas, contemporâneas, modernas e minimalistas, desde que haja harmonia.

Para garantir que o mix de estilos dê certo, é importante delimitar um espaço para o objeto. “Ele pode estar em uma mesa de centro, em uma estante ou mesmo pendurado em um espaço na parede. Fazer dele um destaque facilita a composição”, ensina Paula.

No mesmo tom

No ambiente Tok&Stok, o telefone de mesa e os móveis com toques dos anos 1960 e 1970 fazem link entre si. Contrastam com as linhas retas e modernas do restante da decoração. (foto: Tok&Stok/Divulgação)
No ambiente Tok&Stok, o telefone de mesa e os móveis com toques dos anos 1960 e 1970 fazem link entre si. Contrastam com as linhas retas e modernas do restante da decoração. (foto: Tok&Stok/Divulgação)
A arquiteta Ana Yoshida, da RAP Arquitetura, acrescenta que as cores, os formatos e os materiais também são fatores de integração entre as peças vintage e retrô e o espaço na qual elas serão inseridas. “Ela precisa conversar com outro item do cômodo. Mas ele não precisa ser antigo também. Se você tem um quadro, por exemplo, com tons amarelos, pode inserir uma peça vintage da mesma cor”, explica.

Na cozinha de Ana Yoshida, a geladeira de estética retrô tem uma cor forte, que se torna o centro do espaço, puxando toda a atenção. O tom do tapete ajuda na composição e cria um link, assim como o material da bancada onde está a garrafa de vinho. (foto: Sidney Doll/Divulgação )
Na cozinha de Ana Yoshida, a geladeira de estética retrô tem uma cor forte, que se torna o centro do espaço, puxando toda a atenção. O tom do tapete ajuda na composição e cria um link, assim como o material da bancada onde está a garrafa de vinho. (foto: Sidney Doll/Divulgação )
Posicionar peças de formatos semelhantes em ângulos opostos do ambiente ou nas pontas extremas também auxilia na hora de criar a harmonia e a sensação de unidade em uma decoração que mistura estilos. O retrô, por exemplo, pode trazer mais descontração a um ambiente minimalista e toques rústicos aos espaços clássicos e românticos. “O mix sempre é mais legal, faz com que não fique cansativo ou temático. Além disso, caso queira mudar de estilo, é mais simples repaginar alguns objetos do que todo o espaço”, diz Ana.
O frigobar retrô em um dos cantos da sala projetada por Ana Yoshida conversa com as mesinhas de centro bos outros cantos. O rádio antigo ao lado da televisão e os pequenos enfeites no rack também conversam com o frigobar. (foto: Sidney Doll/Divulgação )
O frigobar retrô em um dos cantos da sala projetada por Ana Yoshida conversa com as mesinhas de centro bos outros cantos. O rádio antigo ao lado da televisão e os pequenos enfeites no rack também conversam com o frigobar. (foto: Sidney Doll/Divulgação )

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade