Publicidade

Correio Braziliense ENTREVISTA

Saiba qual o poder da vitamina D na prevenção de doenças

Grande estudioso no tema, médico norte-americano Michael F. Holick fala À Revista da importância da substância na prevenção de uma série de doenças. Obtida apenas com a exposição ao Sol, ele aconselha a ingestão suplementar


postado em 15/07/2018 07:00

(foto: Vagner Medeiros)
(foto: Vagner Medeiros)

O endocrinologista Michael F. Holick, professor de medicina, fisiologia e nutrição no Centro Médico da Universidade de Boston e da Tuffs University, foi o primeiro pesquisador a identificar a principal forma circulante e ativa de vitamina D no sangue humano. Com isso, determinou o mecanismo de síntese dela na pele e associou os efeitos da vitamina no envelhecimento.

 

“Foi difícil estabelecer a relação entre exposição ao sol e saúde celular dos órgãos em geral. Se eu tivesse que te dar um único ingrediente secreto que pudesse se aplicar à prevenção e ao tratamento de doença cardíaca, cancros comuns, AVC, doenças infecciosas da gripe, tuberculose, diabetes tipo 1 e 2, depressão, insônia, fraqueza muscular, dor nas articulações, fibromialgia, osteoartrite, artrite reumatóide, osteoporose, psoríase, esclerose múltipla, hipertensão e até demência, seria isso: vitamina D”, garante.

 

Autor de três livros para o público leigo e 11 acadêmicos, Holick recebeu mais de 30 prêmios e menções honrosas, incluindo o título de melhor médico dos Estados Unidos 2011/2012, de Melhores Endocrinologistas em 2011, além da Honra ao Mérito do National Institute of Health e o prêmio do Instituto Linus Pauling, por pesquisas médicas em nutrição humana.

 

De acordo com seus estudos, a vitamina D pode reduzir em até 50% a probabilidade de hipertensão, acidente vascular cerebral e infarto quando mantido o nível do pró-hormônio adequado no organismo. Ele ainda destaca que mulheres com osteoporose tendem a ter um grande volume de cálcio nas paredes das artérias e correm maior risco de morte por causas cardíacas do que as mulheres com ossos mais fortes e densos, por causa da formação de placas de gorduras perigosas.

 

No mês passado, Holick esteve em Brasília. Em entrevista, ele fala sobre a deficiência de vitamina D, que é um problema no Brasil e em todo o mundo e sobre os benefícios desse micronutriente.


Por que a deficiência de vitamina D é um problema que atinge tanta gente?

A deficiência de vitamina é um problema de saúde no mundo inteiro. Um dos motivos disso, que não é apreciado, é que ela não está naturalmente em nenhuma comida, nem mesmo em peixes gordurosos, como salmão, nem em cogumelos expostos ao sol, nem no óleo de fígado de bacalhau.

 

Como, então, podemos obter vitamina D?

A principal fonte de vitamina D continua sendo a exposição ao Sol.

 

Mas, mesmo no Brasil, onde há forte incidência do Sol, a deficiência de vitamina D é uma realidade. Por quê?

A pessoa deve estar exposta ao Sol nos horários entre 10h e 15h, quando crianças estão na escola e adultos estão trabalhando. São também justamente os momentos não recomendados do ponto de vista da saúde da pele. Indica-se usar protetor solar e o fator de proteção 30 já reduz a capacidade da pele produzir vitamina D em 95%. Por isso, a maioria dos países, inclusive os com muito Sol, têm esse problema de saúde.

 

Diante da impossibilidade e até do perigo de se expor ao Sol sem proteção nesses horários, o que pode ser feito?

Eu recomendo que todo bebê até 1 ano de idade ingira pelo menos 400 unidades internacionais (UIs) e até 1.000 (UIs) de vitamina D por dia. Para crianças, a dose pode aumentar para entre 600 UIs e 1.000 UIs. Adolescentes e adultos devem tomar de 1.500 UIs a 2.000 UIs por dia.

 

Quando formos para o sol, não devemos nos protegemos?

O rosto deve mesmo ser protegido, mas é bom deixar os braços exposto por algum tempo — menos do que o necessário para queimar-se.

 

Alguns médicos usam altas doses de vitamina D para tratamento de doenças autoimunes, mas muitos são contrários a esse procedimento. Por que isso é tão controverso?

Eu estou familiarizado com a pesquisa do médico brasileiro Cícero Coimbra, que usa altas doses de vitamina D por períodos. Entendo a preocupação dos médicos em geral, porque eles todos foram ensinados que vitamina D é extremamente tóxica. Doutor Coimbra foi muito cuidadoso para garantir que não há toxicidade nesse protocolo de altas doses. Ele faz isso garantindo que o paciente esteja em uma dieta 100% livre de cálcio. Eu tenho cinco pacientes no protocolo dele e eu sigo cuidadosamente.

 

 

Para ler

(foto: Vagner Medeiros)
(foto: Vagner Medeiros)

Vitamina D 

Como um tratamento tão simples pode reverter doenças tão importantes

Preço sugerido: 25,90

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade