Publicidade

Correio Braziliense CASA

Quartos para eles e para elas

Pessoas de sexo oposto podem dividir o mesmo quarto e, ainda assim, manter a decoração harmônica e personalizada


postado em 22/07/2018 08:00 / atualizado em 20/07/2018 16:02

(foto: Studio Gabriel Garbin Arquitetura /Divulgacao)
(foto: Studio Gabriel Garbin Arquitetura /Divulgacao)
Decorar o quarto nem sempre é uma tarefa fácil. Quando o local é dividido por duas pessoas de sexos opostos ou até mesmo quando não se sabe ainda se o bebê que está a caminho é menino ou menina, a escolha das cores e dos objetos se torna ainda mais complicada. Para isso, a dica é apostar em um quarto unissex e agradar a todos.

Aposte em cores neutras, como branco, cinza e madeira(foto: Guel Arquitetos/Divulgacao)
Aposte em cores neutras, como branco, cinza e madeira (foto: Guel Arquitetos/Divulgacao)
Segundo arquitetos, os tons neutros são sempre um curinga para quem deseja esse estilo de decoração. “O cinza, o bege, os tons de madeira e o branco são exemplos de cores que não puxam para nenhum lado. Para as crianças, apostem em amarelo e verde”, indica a arquiteta Elisa Fraga.
 
Falando em cores, engana-se quem pensa que o rosa se restringe às meninas e o azul aos meninos. O arquiteto Gabriel Garbin destaca que a dica é usar tons queimados, que não sejam fortes. “O rosa não necessariamente é uma cor para mulher. Um tom queimado, que combine com cinza, vai bem em quartos masculinos”, frisa. Ele ainda comenta que o azul-marinho também é uma opção, além do amarelo.

No lugar de papeis de paredes florais, que deixam o ambiente mais feminino, invista em estampas de folhagens(foto: Guel Arquitetos/Divulgacao)
No lugar de papeis de paredes florais, que deixam o ambiente mais feminino, invista em estampas de folhagens (foto: Guel Arquitetos/Divulgacao)
Os papéis de parede são sempre bem-vindos quando o assunto é decoração, e nos quartos unissex não são diferentes. Segundo Elisa, o importante, nesses casos, é se atentar às estampas. As florais, por exemplo, tendem a deixar o ambiente mais feminino, então, a dica é fugir das flores. “É interessante procurar coisas mais assimétricas, nos tons de cinza ou branco. A gente também tem as folhagens, que não puxam para o lado da mulher”, cita.

Dividindo o espaço

Segundo Gabriel, para a garotada que divide o mesmo quarto, a decoração pode ser usada também para definir o espaço de cada um. “É importante cada criança ter o seu cantinho. Essa fase da vida os prepara para o futuro e ter referência de espaço para se organizar é fundamental”, comenta o arquiteto.

Para isso, Gabriel indica usar papeis de parede diferentes próximos à cama de cada um. O ideal é que os modelos combinem para garantir a harmonia visual do ambiente.

Uma alternativa é usar os próprios objetos decorativos e os brinquedos. De acordo com Elisa, os itens pessoais ajudam a deixar cada cantinho com a cara do dono. Nessas horas, o fundo neutro se torna novamente peça-chave na ornamentação. “Com uma base neutra você consegue, com mais facilidade, organizar os objetos sem puxar para nenhum lado”, justifica.

Com um fundo neutro, fica mais fácil trabalhar os outros tons nos detalhes da decoração(foto: Guel Arquitetos/Divulgacao)
Com um fundo neutro, fica mais fácil trabalhar os outros tons nos detalhes da decoração (foto: Guel Arquitetos/Divulgacao)
A neutralidade também possibilita brincar com os tons mais fortes nos detalhes. Os especialistas indicam colocar um ponto de cor, usando almofadas e colchas, por exemplo. “Em um quarto misto, dá para adotar uma colcha com a mesma linguagem para os dois, mas, em um, usa-se uma cor mais feminina e, no outro, um tom masculino. Fica legal e ajuda a delimitar os espaços”, ressalta Elisa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade