Publicidade

Correio Braziliense BELEZA

Fragrância que agradam aos dois

Perfumes com bases mais cítricas ganham espaço no gosto de homens e mulheres


postado em 22/07/2018 08:00 / atualizado em 20/07/2018 18:08


A onda genderless (sem gênero) se torna cada vez mais presente na indústria mundial e brasileira. A tendência invadiu o mercado de moda e beleza e agora deixa sua marca na indústria dos perfumes.

Red Musk Eau de Toilette unissex, da The Body Shop (R$ 159)(foto: Divulgação / The Body Shop)
Red Musk Eau de Toilette unissex, da The Body Shop (R$ 159) (foto: Divulgação / The Body Shop)
Tradicionalmente, o gosto das mulheres é mais voltado às fragrâncias adocicadas, que transmitem delicadeza e sensualidade. Normalmente as notas mais açucaradas, como a baunilha e o caramelo, são associadas a outras duas grandes famílias: a dos florais e a dos amadeirados.

“As fragrâncias florais são uma das bases da perfumaria feminina. No Brasil são associadas às notas frutais , que resultam em perfumes que irradiam feminilidade. As notas frutais acrescentam um frescor e uma jovialidade”, explica Luciana Knobel, head de criação de fragrâncias finas da Symrise.

Outro segmento é o dos amadeirados. As notas de patchouli, que trazem tons de madeira mais escura, dentro do ramo da perfumaria fazem parte do grupo olfativo chipre.

“O perfume feminino que associa o doce ao amadeirado passa um ar de empoderamento e de força”, acrescenta a perfumista exclusiva da Natura, Verônica Kato.

Já o público masculino, se aproxima mais dos odores com toques amadeirados. Uma delas é a família do aromático amadeirado, que engloba fragrâncias frescas, com misturas de ervas e madeiras transparentes.

De estilo semelhante, ressaltando o frescor e uma certa refrescância, a família dos fougères, também faz sucesso entre os homens brasileiros. Luciana destaca que esse tipo de perfume traz a sensação de limpeza e de banho recém-tomado, que agrada muito ao público dos países mais quentes.

Sensuais

A outra vertente preferida dos homens segue mais o lado das fragrâncias ambaradas. Verônica afirma que as madeiras mais quentes e fortes combinadas ao âmbar transformam-se em perfumes sensuais, opulentos, que oferecem impressão de vigor e poder.

A partir dos perfumes que fazem mais sucesso entre homens e mulheres, as indústrias buscam meio-termos que englobam os pontos de convergência entre os públicos sem pesar demais para nenhum dos lados, usando muitas notas transparentes, por exemplo.

As fragrâncias genderless costumam ter bases mais cítricas, com toques de especiarias, flores, frutos e o amadeirado transparente.

“Elas têm um pouco de tudo, mas ao mesmo tempo são bem neutras. O amadeirado não é tão opulento como no masculino, e o floral não é tão doce como no feminino. As notas aparecem, mas de forma suave”, salienta Verônica.

Na década de 1990, Calvin Klein via espaço para este tipo de produto e lançou o clássico CK One, um dos perfumes mais vendidos da marca, tanto para homens quanto para mulheres. A fragrância mistura cítricos, madeiras e musks, e hoje a tendência se espalha, além de ser complementada pelas notas orientais.

No Brasil, O Boticário relançou a fragrância sem gênero Insensatez. Por meio da assessoria, a marca informou que o perfume voltou ao portfólio depois de grande apelo por parte do público, que pediu pela volta dos produtos nos canais de atendimento.

Com notas cítricas refrescantes e leves toques de madeira e florais, segue a receita e a tendência mundial no que diz respeito ao perfume genderless.

Um dos aromas orientais que tem feito sucesso na perfumaria global e brasileira é o oud, uma espécie de madeira com incenso exótico de origens árabes.

“As grandes marcas de perfumaria estão bebendo nas fontes de inspiração orientais e muitas dessas novidades podem ser usadas para agradar tanto o público masculino quanto o feminino”, explica Verônica.

Regiões

Faces No Gender, da Natura (R$ 84,90); Essencial OUD masculino e feminino, da Natura (149,90)(foto: Divulgação )
Faces No Gender, da Natura (R$ 84,90); Essencial OUD masculino e feminino, da Natura (149,90) (foto: Divulgação )
Uma das novas fragrâncias da Natura, o Essencial Oud, por exemplo, tem a versão feminina e masculina, mas uma certa “troca” de produtos entre os gêneros já é percebida. Outros perfumes da marca, como o Kaiak, também acabaram caindo no gosto de homens e mulheres.

A perfumista explica que, principalmente nas regiões mais quentes do Brasil, como Norte e Nordeste, as mulheres usam muito da perfumaria masculina.

“É algo muito peculiar das brasileiras. Pela sensação de limpeza e frescor, elas acabam preferindo os produtos masculinos”, destaca.

Em outras ocasiões, mulheres afirmam usar produtos masculinos mais amadeirados e fortes quando querem se sentir mais poderosas.
Iris 39, da Symrise (preço sob consulta); Red Musk Eau de Toilette unissex, da The Body Shop (R$ 159); Le Labo Vetiver 46, sem gênero, da Symrise (preço sob consulta)(foto: Divulgação)
Iris 39, da Symrise (preço sob consulta); Red Musk Eau de Toilette unissex, da The Body Shop (R$ 159); Le Labo Vetiver 46, sem gênero, da Symrise (preço sob consulta) (foto: Divulgação)
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade