Publicidade

Correio Braziliense FITNESS & NUTRIÇÃO

Treino com máquinas versus peso livre: qual o melhor?

Treinos no solo ou com ajuda dos aparelhos? Saiba como aproveitar as duas opções de exercícios


postado em 29/07/2018 08:00 / atualizado em 27/07/2018 17:47


Anfrísio Mariani, personal trainer, diz que prefere os treinos com peso livre a treinos em máquinas(foto: Ed Alves/CB/D.A Press )
Anfrísio Mariani, personal trainer, diz que prefere os treinos com peso livre a treinos em máquinas (foto: Ed Alves/CB/D.A Press )
 
São diversas máquinas diferentes, cada uma com ajustes, pesos e funções que permitem uma infinidade de maneiras fazer exercício. No meio de tantas opções, é natural que surjam dúvidas sobre a melhor forma de se exercitar.

Uma das questões mais frequentes é a escolha entre realizar um treino com pesos livres, ou seja, usando apenas acessórios, ou usar as máquinas da academia. O personal trainer Anfrísio Mariani conta que prefere passar exercícios no solo, com acessórios, para os alunos.

“O treino livre incentiva a coordenação motora, o equilíbrio e trabalha diversos músculos na hora do exercício. Assim, ele fica mais harmônico e as chances de desequilíbrio muscular são menores”, conta.

A melhor parte do treino livre, segundo Anfrísio, é a dinamicidade que ele oferece: “No dia a dia, estamos acostumados com posturas ruins, como ficar sentado muito tempo mexendo no computador ou celular. O treino com pesos livres foge dessa rotina e estimula o corpo a fazer movimentos diferentes, desafiando o aluno”, acrescenta.

Estabilização


As máquinas são indicadas para pessoas que têm dificuldade de coordenação e estabilização. Por oferecer muito apoio e suporte, os aparelhos facilitam o exercício. “O movimento é guiado, e isso ajuda pessoas que têm dificuldade na hora da atividade”, explica o professor.

Entre os alunos, a preferência é por um treino misto. Eliane Martins, 61 anos, pratica exercício físico há muitos anos e gosta de poder variar o treino.

“Acho legal utilizar máquinas e peso livre também. Acaba que cada um trabalha uma parte do corpo”, conta a servidora pública aposentada.

A também servidora Marina Faria do Amaral, 42 anos, gosta das opções que as máquinas oferecem. “A máquina de remo e a power plate (plataforma vibratória) são muito interessantes”, conta.


Pilates mistura opções


No pilates, algumas máquinas são utilizadas para incrementar a aula. Originalmente, o alemão Joseph Pilates desenvolveu, no início do século 20, o método sem ajuda de aparelhos, apenas com o peso do corpo e acessórios pontuais, como molas e elásticos. Os aparelhos foram introduzidos depois, e possibilitam uma maior variedade de movimentos e cargas.

“O treino completo de pilates envolve o solo e os aparelhos. Enquanto no solo trabalhamos com exercícios de força, para tonificar os músculos, os aparelhos permitem trabalhar a estabilidade e o equilíbrio”, conta Ariane Fernandes, fisioterapeuta e professora de pilates, dona de um estúdio no Lago Sul.

A fisioterapeuta completa que, muitas vezes, os aparelhos oferecem possibilidades que só o solo não contemplava: “O aparelho serve para facilitar ou dificultar um exercício. Eles ajudam, por exemplo, em alongamentos que o corpo não faria sozinho”.

O fundamental, sempre, é ter um bom profissional de educação física e de fisioterap

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade