Publicidade

Correio Braziliense ENCONTRO COM O CHEF

Marcello Lopes abre boucherie com rodízio de acompanhamentos

Depois de criar menus para companhias aéreas e servir dois presidentes, chef investe no Blend Boucherie


postado em 19/08/2018 07:00

(foto: Ana Rayssa/Esp. CB)
(foto: Ana Rayssa/Esp. CB)

Marcello Lopes nunca gostou de acordar cedo. Na adolescência, falou para a mãe que não queria mais estudar pela manhã. Ela até concordou, mas foi logo avisando: não teria ninguém para preparar o almoço dele antes de ir para a escola. O garoto nem titubeou, disse que prepararia as próprias refeições. E foi assim que ele se apaixonou pelas panelas e decidiu que seria chef de cozinha.

 

Aos 23 anos, Marcello mudou-se para a Austrália com o intuito de se profissionalizar na área. Depois de muita pesquisa, escolheu como endereço Perth — cidade que recebia gente de todo o mundo e estava com a gastronomia em ascensão. “Antes de ingressar na universidade, porém, precisava aperfeiçoar o meu inglês e passar no Ielts (teste que avalia se o aluno tem condições de estudar e estagiar mantendo comunicação em língua inglesa)”, relembra. O ano era 2003.

 

Enquanto estudava, o rapaz resolveu fazer um bico para reforçar o orçamento. Conseguiu um emprego como lavador de pratos em um restaurante especializado em comida mediterrânea. Curioso, logo começou a mexer com o preparo dos alimentos — a função era a mais baixa, mas já era um começo.

 

Mas uma notícia vinda do Brasil mudou os planos de Marcello. Ele descobriu que ia ser pai. “Precisava conseguir dinheiro para comprar o enxoval. Fui atrás de um trabalho que pagasse bem, não importava em que área. Passei 36 dias plantando eucalipto nas montanhas”, recorda-se.

 

Conseguiu dinheiro suficiente não só para o enxoval como também para pagar uma faculdade de gastronomia em Sidney. Voltou ao restaurante onde trabalhou e avisou que estava de malas prontas. “Eles, então, fizeram uma proposta de bancar a minha faculdade em Perth e ainda me pagar um bom salário, tudo regularizado.” Não deu para recusar. “Comecei como chef aprendiz e fui crescendo até me tornar chef executivo do restaurante.”

Nova etapa

Por lá, Marcello ficou até 2009, quando percebeu que era hora de voltar para o Brasil. Já em terras candangas e com o pé-de-meia que juntou na Austrália, abriu um restaurante em sociedade com outras duas pessoas. Por dois anos, esteve à frente do The Gong, na 209 Norte. “Comecei a receber convite para montar o cardápio de outras casas.”

 

O chef, então, vendeu sua parte na sociedade e partiu para o novo desafio. Criou o cardápio de mais de 10 restaurantes em Brasília, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Paraíba. Não só montava o menu como treinava a equipe. Na capital, criou um forte laço com o Bottarga, tradicional casa da cidade que fechou as portas em 2016.

 

Em 2015, Marcello recebeu o convite da IMC (International Meal Company) — empresa do ramo de alimentação com forte atuação em aeroportos e companhias aéreas — para ser o chef executivo do avião presidencial. Por um ano e oito meses, preparou as refeições de Dilma Rousseff — até o impeachment — e até novembro do ano passado, as de Michel Temer, sempre que eles e a equipe viajavam.

 

“Como, às vezes, ficava com tempo ocioso, acabei me tornando chef também da própria IMC”, conta. Assim, Marcello montou o cardápio, por exemplo, de companhias aéreas internacionais, como TAP, Air France e American Airlines. Paralelamente, ainda mantinha um food truck, o Chef na rua.

 

Mas Marcello é daqueles ligados na tomada. Sempre em movimento, viu que era hora de voltar a ter um restaurante para chamar de seu. Pediu demissão na IMC, fechou o food truck e, em poucos meses, abriu as portas da Blend Boucherie, em julho. “Eu sou apaixonado por carne, por isso a ideia de abrir uma boucherie (espécie de butique de carne). Sem falar que, hoje, temos excelentes cortes de angus.”

 

No restaurante, na 412 Norte, o cliente escolhe o corte de carne de sua preferência — há também peixe e frango — e guarnições são passadas nas mesas para acompanhar a proteína. Nas panelinhas, há, pelo menos, 10 opções. Entre elas, risoto com quinoa, fava com bacon e calabresa, arroz de alho negro, tomate assado com crosta de panko e polenta mole de grana padano — receita da avó, que Marcello compartilha com os leitores da coluna.

 

À noite e nos fins de semana, o Blend Boucherie oferece ainda hambúrguer. E, como o chef adora um movimento, ele já planeja algumas mudanças no cardápio. De imediato, vai acrescentar o prime rib entre as proteínas oferecidas. “Tenho um milhão de ideias na cabeça.” Inclusive para o futuro. Marcello já tem tudo planejado: “Fico com um restaurante pelos próximos 10 anos, daí vou abrir uma pousada na beira da praia”.


Polenta mole de queijos aromatizado com grana padano

(foto: Ana Rayssa/Esp. CB)
(foto: Ana Rayssa/Esp. CB)
 

Ingredientes

200g de fubá mimoso

800ml de água quente

200g de creme de leite

100g de queijo grana padano

1 pitada de pimenta-branca

5g de sal ou a gosto

100g de queijo parmesão

100g de requeijão


Modo de fazer

Misture o fubá mimoso em água fria pra hidratar. Em seguida, vá colocando o fubá hidratado na água fervida, mexendo sem parar.

Em fogo baixo, cozinhe por 40 minutos ou até que a cor amarela fique clarinha (isso vai depender da temperatura da chama de cada fogão), sempre mexendo o fundo da panela para não grudar.

No fim, acrescente os queijos. Primeiro o requeijão. Em seguida, o creme de leite, sem parar de mexer. Na sequência, coloque o parmesão, o grana padano e o sal.

Por fim, para dar uma emulsificada, coloque um pouco de manteiga sem sal.

Está pronto para acompanhar um belo corte de carne.

 

Serviço

Blend Boucherie

CLN 412, Bloco B; 

Telefone: (61) 3544-744 

Aberto de segunda a domingo, das 11h30 às 15h e das 18h à 0h 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade