Publicidade

Correio Braziliense FAÇA VOCÊ MESMO

Como cultivar uma horta em pequenos espaços

É possível criar hortas em apartamentos e quitinetes. Além de proporcionar economia e segurança alimentar, prática permite aproximação da natureza


postado em 23/09/2018 08:00 / atualizado em 21/09/2018 13:32

Patrícia Campos mudou a sua relação com a comida desde que criou a sua horta: espaço de apenas 2m²(foto: Arthur Menescal/CB/D.A Press)
Patrícia Campos mudou a sua relação com a comida desde que criou a sua horta: espaço de apenas 2m² (foto: Arthur Menescal/CB/D.A Press)
Cebolinha, manjericão e salsinha são apenas alguns dos temperos que a designer instrucional Patrícia Campos, 39 anos, cultiva. Para isso, ela tem o necessário: sol, terra boa e água limpa. Espaço? Isso já é relativo. Os produtos são produzidos em uma quitinete de 35m², mais precisamente nos 2m² da varanda.

Segundo o engenheiro ambiental Bruno Cordovil de Macedo, ter uma horta em casa significa inúmeros benefícios. Além de trazer a natureza para mais perto, a iniciativa gera economia para o bolso e segurança alimentar, sem a ingestão de agrotóxicos. Ele ainda garante que a prática proporciona uma nova relação com a comida. “É diferente de você só ir no supermercado e comprar. Você plantou aquela muda, regou, adubou e a viu crescer.”

Patrícia afirma que tem visto mesmo a sua relação com a comida mudar. Ela conta que a ideia de fazer uma horta em casa veio com o propósito de consumir produtos orgânicos e ter mais contato com a terra. “Eu sempre quis estar mais próxima da natureza. Estou voltada para coisas mais saudáveis, a ideia veio desse movimento pessoal.”

Para a designer, produzir os próprios alimentos tem sido um grande prazer. “Quando eu vou fazer macarronada, pego manjericão da minha horta; se vou preparar um risoto, apanho todos os temperos lá. Não preciso ir no supermercado.” Para ela, cultivar os alimentos se tornou uma espécie de terapia. “Vou para a varanda, tiro um tempo só para mim. Quando vou fazer o plantio, eu me desligo do resto”, enfatiza.

Sem desperdício


Desde que começou a plantar os temperos, Thalita de Araújo viu o desperdício de alimentos despencar(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Desde que começou a plantar os temperos, Thalita de Araújo viu o desperdício de alimentos despencar (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
O engenheiro ambiental ressalta que outro benefício de cultivar os próprios alimentos é o combate ao desperdício. De acordo com o especialista, grande parte dos produtos se perdem devido à logística e ao armazenamento. Com uma horta em casa, a pessoa só colhe a quantidade certa que vai usar.

A servidora pública Thalita de Araújo, 38, afirma que foi justamente o combate ao desperdício que a motivou a produzir os próprios temperos. Thalita mora em um apartamento com o marido e garante que, depois da horta, tem aproveitado melhor os alimentos. “Somos só nós dois e, quando a gente comprava no mercado, geralmente, parte ia para o lixo, porque não conseguíamos utilizar tudo. Agora, quando precisamos, tem tudo aqui fresquinho e sem desperdício” destaca.

A horta fica próxima à janela da sala, a poucos metros da cozinha. Entre os produtos estão salsa, cebolinha, manjericão, sálvia, alecrim e há planos para começar a cultivar morango. Para Talita, além de se tornar um item decorativo do apartamento e garantir alimentos orgânicos, acompanhar as plantas crescerem tem sido apaixonante.

Para começar


O agricultor urbano Juarez Martins afirma que há três itens básicos para ter uma horta em um apartamento ou quitinete: sol, terra boa e água. Segundo ele, as plantas precisam de cerca de quatro horas de luz solar por dia. A terra também é algo fundamental e fácil de conseguir. “Você pode pegar terra comum do cerrado ou comprar no mercado, nessas lojas de jardinagens. Então, você coloca um pouco de húmus de minhoca”, explica. Ele ainda destaca que para cada três partes de terra, é necessário uma parte de húmus.

Sobre a água, Juarez destaca que ela precisa ser limpa e usada na medida certa. O agricultor informa que, para um vaso de dois litros de terra, 200ml de água por dia são suficientes. “As pessoas erram mais pelo excesso de água do que pela falta dela”, alerta. Para que todo o líquido seja aproveitado, o especialista indica regar a planta sempre no fim do dia, quando a temperatura está mais baixa, para evitar que a água evapore.

Para os iniciantes, o agricultor urbano indica começar pelos temperos, por serem mais resistentes e durarem por mais tempo. “Ele vai ficar anos no apartamento. Você só precisa repor uma vez por mês um pouco de adubo. O pé de alface, por exemplo, não é perene. Você tem que plantar e, depois que colhe, precisa plantar outra vez e isso dá um pouco mais de trabalho”, frisa


Onde cultivar?


Como o sol é de extrema importância para o sucesso da horta, a escolha do local também se torna crucial. O ideal é em varandas, próximo a janelas, onde permita o sol bater na folhas durante o período mínimo de quatro horas. Juarez ainda ressalta que o lugar também precisa ser ventilado, porém sem ventos muito fortes.

Quanto ao recipiente, tudo é bem-vindo. Além dos próprios vasos de jardinagem, garrafas pet, latas de leite em pó ou de tinta podem ser usadas, basta fazer alguns furinhos no fundo para a drenagem.

Reponha os nutrientes da terra
 
Segundo Juarez, a terra é para a vida toda; porém, é necessário repor os nutrientes dela ao menos uma vez por mês, para a planta não morrer. O agricultor explica que o nutriente pode ser produzido em casa. Para isso, misture borra de café seca, casca de ovo triturada e casca de banana, também triturada e seca (use o liquidificador para misturar). Coloque duas colheres por mês, misturando superficialmente à terra, sem mexer na raiz.

Para se livrar das pragas
 
Uma colher de sopa de óleo vegetal.
Uma colher de sopa de detergente, preferencialmente neutro.
Um litro de água.
Misture os ingredientes, chacoalhe e borrife na parte inferior e superior da planta, nas horas mais frescas do dia.
Para atacar lagartas, acrescente pimenta ou gotas de molho de pimenta.

Fonte: Juarez Martins, agricultor urbano

Faça a própria muda
 
Em uma caixa de ovos, faça furos nos fundos e coloque substrato de plantio. Acrescente um buraco no centro, de cerca de 1cm de profundidade, e coloque duas a três sementes em cada furo. Cubra os buracos com substrato e borrife água delicadamente. Deixe em um lugar à meia-sombra e regue diariamente.

Fonte: Horta Linda

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade