Publicidade

Correio Braziliense CASA

Profissionais sugerem como decorar quartos de crianças para todos os gostos

Clássico ou moderno, veja as dicas para montar o quarto dos filhos. Um espaço onde o lúdico e a personalização andam juntos


postado em 07/10/2018 08:00 / atualizado em 07/10/2018 21:36

No quarto de estilo clássico projetado pelas arquitetas Carol e Reyla Montiel, as irmãs dividem o mesmo espaço: na foto acima, o espaço do bebê e, à direita, o da mais velha. No meio, um cantinho lúdico para brincadeira. Cada ambiente pode ser separado por cortinas(foto: Jomar Bragança/CasaCor)
No quarto de estilo clássico projetado pelas arquitetas Carol e Reyla Montiel, as irmãs dividem o mesmo espaço: na foto acima, o espaço do bebê e, à direita, o da mais velha. No meio, um cantinho lúdico para brincadeira. Cada ambiente pode ser separado por cortinas (foto: Jomar Bragança/CasaCor)
Preparar o quarto para acomodar os filhos é apenas mais uma das responsabilidades dos pais. O espaço requer atenção especial. Além de bonito, é importante que seja funcional e seguro. A cada dia o leque de possibilidades aumenta. Atualmente, há novas opções de decoração que também refletem um pouco o estilo dos pais.

As arquitetas Carol e Reyla Montiel, filha e mãe, apostam no estilo clássico e delicado para o quarto dos pequenos. Há seis anos, elas abriram a loja Casa Montiel e começaram a fabricar mobiliários personalizados, entalhados, pintados e montados manualmente. "Fazemos móveis de todos os estilos, mas gostamos de divulgar o clássico por acrditar que ele é um diferencial", explica Carol Montiel.

Para ela, essa maneira de decorar mantém um ar romântico e acolhedor e, por isso, nunca é considerado antiquado. Nesta edição da CasaCor, as duas decidiram investir no Shabby Chic — uma variação do clássico com um toque provençal. Outro diferencial do espaço Quarto dos Bebês é exatamente o plural. Carol e Reyla criaram um cômodo delicado para ser dividido entre duas irmãs.

A decisão vem de uma experiência pessoal das arquitetas, que são mães de duas meninas com idades próximas e defendem que as crianças, independentemente do sexo, devem compartilhar o quarto. Para Carol, isso favorece o entendimento da divisão de tarefas, estimula a união e, obviamente, ensina a dividir.

A família da influenciadora digital brasiliense Denise Gebrim foi escolhida como a homenageada do ambiente. O quarto de 45m² foi criado pensando em Maria Antônia, de quase 2 anos, e Maria Helena, 6 meses. O resultado é um ambiente sutil e feminino, onde predominam os tons de branco, cinza e os pastéis rosa, lavanda e verde.
 
Os móveis foram desenvolvidos na Casa Montiel. O tecido estampado com flores, o bordado e o ipê-rosa, pintado na parede pela artista plástica Juliana Lobo, foram planejados nos mínimos detalhes. As flores aparecem também nos detalhes entalhados no mobiliário e no lustre com serralheria artística. O papel de parede com renda renascença, que leva a assinatura da estilista Martha Medeiros, deu o toque final de requinte e combinou com o bordado do enxoval. 

A configuração do quartinho preserva a individualidade de cada uma e estimula a convivência. A mais velha tem o seu espaço ao fundo. No meio, está um cantinho de brincadeiras, com casinha montessoriana, arara com fantasias, brinquedos, mesa de atividades, prateleiras para livros e um balanço de macramê. Do outro lado, o espaço da caçula, com berço, trocador e poltrona de balanço. "O quarto foi feito para que as crianças aproveitem cada cantinho", conta Carol.

Os três ambientes podem ser separados a qualquer momento com cortinas. Outra solução possível, de acordo com a arquiteta, é o uso de portas de correr. Em um primeiro momento, esse parece ser um projeto compatível apenas com uma casa ampla. Entretanto, Carol garante que a solução pode ser aplicada em um apartamento com dois ou três quartos.

Modernidade

Por mais delicado e encantador que seja, nem todos os pais se identificam ou desejam um cômodo tão clássico. Nesse caso, a tendência mais forte e popular é o quarto escandinavo. O modelo tem uma inspiração nórdica e prega o conceito de hygge. “Não há tradução do termo, mas se refere a uma vida minimalista, com foco no bem-estar. Na decoração, funcionalidade e máximo conforto”, afirma a designer de interiores Linda Martins, do Maraú Design Stúdio.

As características que definem a maneira escandinava de decorar são: móveis com linhas retas, paleta de cores neutras, luz natural e simplicidade. O estilo nórdico comprova que um quarto de criança não precisa ser excessivamente lúdico. É possível criar um ambiente sóbrio, moderno e, ainda assim, infantil.
 
As designers de interiores Linda Martins e Cris Araújo, do Maraú Design Stúdio, projetaram um quarto no estilo escandinavo: móveis com linhas retas, paleta de cores neutras, luz natural e simplicidade(foto: Gustavo Xavier)
As designers de interiores Linda Martins e Cris Araújo, do Maraú Design Stúdio, projetaram um quarto no estilo escandinavo: móveis com linhas retas, paleta de cores neutras, luz natural e simplicidade (foto: Gustavo Xavier)
"Para a decoração ser lúdica, não necessariamente o quaro precisa ter cores chamativas. O lúdico pode ser criado por elementos que remetem à infância. Em um projeto recente, por exemplo, inserimos balão e letras com o nome da criança, algo bastante lúdico, mas que, devido a seus tons suaves, dialogam com o espaço”, complementa a sócia, Cris Araújo.

As profissionais ressaltam que a grande vantagem, além da estética, é a economia. O projeto não demanda nada além do necessário para compor um espaço harmonioso. Outro benefício é a fácil adequação do ambiente à medida que a criança cresce. “Os tons não são marcantes, o uso de um mobiliário mais sóbrio e de linhas retas permite que as adaptações sejam feitas com a aquisição de uma outra peça sem, no entanto, ter que fazer grandes modificações no espaço”, orienta Linda.

Minimalista, o estilo escandinavo é simples de ser aplicado. Segundo as designers, só existe uma coisa que não combina com a decoração nórdica: o excesso. “Seja de cor, seja de adornos ou materiais”, garante Cris.
 

Tudo ao alcance da criança

A aplicação do método montessoriano nos ambientes infantis segue os padrões do método de ensino criado pela italiana Maria Montessori por volta de 1907. A ideia é criar um quarto para os bebês e crianças — não para adultos. A prioridade nesse espaço é a autoeducação.

Muitas pessoas acham que esse é mais um estilo de decoração. A arquiteta Laísa Carpaneda, do escritório Carpaneda&Nasr, esclarece que esse é um erro comum. “O método consiste em deixar tudo ao alcance da criança. Um quarto pode ser clássico ou escandinavo e ser, ao mesmo tempo, montessoriano.” Porém, a associação mais frequente é com o estilo nórdico.

(foto: Carpaneda&Nasr/Divulgação)
(foto: Carpaneda&Nasr/Divulgação)
Quadros de giz, tapetes interativos, estantes de livros e camas baixas são itens recorrentes nos espaços que obedecem ao conceito. Além disso, todos os móveis são feitos em escala para a criança — algo que Laísa enxerga como uma grande vantagem. “A criança fica mais independente e se sente mais à vontade para usar o quarto. Ela entende que aquilo é dela”, observa.

Para garantir que o quarto seja sempre seguro na hora das brincadeiras, a arquiteta destaca a importância do mobiliário em miniatura ter as quinas arredondadas. A instalação de espelhos para que os pequenos possam se observar também é um recurso usado frequentemente, porém Laísa não sente total segurança na ideia e prefere não utilizá-la.
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade