Publicidade

Correio Braziliense NEURôNIOS EM DIA

Crianças que têm um mundo imaginário paralelo são mais criativas

Estudos indicam que crianças que cultivam amigos ou mundos imaginários se mostram mais criativas e que cerca de 20% das crianças com idade entre 8 e 12 têm o hábito


postado em 08/11/2018 13:03

(foto: Divulgação)
(foto: Divulgação)

Você tinha um mundo paralelo quando era criança? Um amigo fictício? Pesquisadores americanos reconheceram, recentemente, que isso é mais comum dos que se imaginava. Esse outro mundo, também chamado de paracosmo, está presente em quase 20% das crianças com idades entre 8 e 12 anos. Essas crianças se mostraram mais criativas nos testes cognitivos e, curiosamente, não eram mais solitárias. Esse mundo paralelo frequentemente era vivenciado em grupo junto a outras crianças do círculo social.
 
Os brilhantes músicos americanos Herbie Hancock e Wayne Shorter escreveram recentemente uma carta às próximas gerações de artistas para acender as mentes criativas. Acho que isso deveria servir de inspiração a todos nós, independentmente de sermos ou não artistas. A vida pode ser uma obra de arte. Aliás, deve ser.  
 
Seleciono aqui um trecho da carta que acho um primor: “Finalmente, esperamos que você viva em um estado de constante deslumbramento. Com o acúmulo dos anos, partes da nossa imaginação podem se apagar. Ou por tristeza, dificuldades prolongadas, ou condicionamento social, em algum momento de suas vidas as pessoas se esquecem de como acessar esta mágica inerente que existe dentro de nossas mentes. Não deixe essa parte da sua imaginação desaparecer. Olhe para as estrelas e imagine como seria ser um astronauta ou um piloto. Imagine explorar as pirâmides ou o Machu Picchu. Imagine poder voar como um pássaro ou passar por uma parede como o Super-Homem. Imagine correr com os dinossauros ou nadar com criaturas do mar. Tudo o que existe é produto da imaginação de alguém; cuide bem e nutra sua imaginação e você sempre se encontrará à beira da descoberta.  Como cada um desses fatores levam à criação de uma sociedade pacífica? - você deve estar se perguntando. Tudo começa com uma causa. Suas causas criam os efeitos que moldam o seu futuro e o futuro de todos ao seu redor. Sejam os protagonistas no filme de suas vidas. Vocês são os diretores, os produtores e os atores. Sejam ousados e incansavelmente benevolentes enquanto dançam pela viagem que é esta vida”.
 
* Dr, Ricardo Teixeira é neurologista e Diretor Clínico do Instituto do Cérebro de Brasília

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade